REUTERS/Larry Downing
REUTERS/Larry Downing

Obama pede libertação de americanos e fala de acordo nuclear em discurso pelo Nowruz

Em vídeo feito pelo ano-novo persa, presidente dos EUA diz que há a 'melhor oportunidade em décadas' para se chegar a um acordo

O Estado de S. Paulo

20 Março 2015 | 17h37


WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta sexta-feira, 20, dia de Nowruz, o ano-novo do calendário persa, que o Irã liberte três americanos detidos no país e continue procurando outro desaparecido há oito anos.

Em vídeo divulgado pelo Nowruz, como faz desde que assumiu a presidência dos EUA, Obama lembrou das famílias americanas que estão sofrendo "dolorosas separações de seus entes queridos que estão presos ou desaparecidos no Irã".

O presidente mencionou os casos do pastor de origem iraniana Saeed Abedini, detido no Irã desde setembro de 2012, do jornalista do jornal Washington Post Jason Rezaian, preso em julho de 2014, e de Amir Hekmati, preso há mais de três anos. Obama também pediu no comunicado a "cooperação" para localizar Robert Levinson, ex-agente do FBI que desapareceu em 2007.

Em um momento-chave das negociações sobre o programa nuclear de Teerã, o líder americano não deixou de falar sobre o tema. "Temos a melhor oportunidade em décadas para buscar um futuro diferente entre os nossos países", disse Obama.

No vídeo, o presidente pediu aos líderes da República Islâmica que escolham entre dois caminhos: o do "acordo razoável" ou o de manter ao Irã no caminho que isolou o país e seu povo do mundo.

"Um acordo nuclear agora pode ajudar a abrir a porta para um futuro mais brilhante para você, povo iraniano, que, como herdeiro de uma grande civilização, tem muito a dar ao mundo", disse, em referência ao fim das sanções que pesam sobre o país.

"Os próximos dias e semanas serão críticos. As negociações fizeram progressos, mas ainda há lacunas. E há gente, em nossos dois países e fora deles que se opõem a uma solução diplomática", destacou Obama.

O chefe da diplomacia americana, John Kerry, que está em Lausanne, na Suíça, para mais uma rodada de negociações, afirmou nesta sexta que houve "muitos progressos" nas negociações nucleares.

Os contatos entre Irã e os representantes do Grupo 5+1 (China, EUA, França, Grã-Bretanha e Rússia mais a Alemanha) se intensificaram nas últimas semanas para tentar chegar a uma minuta sobre o programa nuclear iraniano antes de 31 de março. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Barack ObamaEUAIrãNowruz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.