Obama pede libertação de jornalista condenada no Irã

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu neste domingo a libertação da jornalista norte-americana Roxana Saberi. A repórter, que também tem cidadania iraniana, foi condenada a oito anos de prisão por espionagem.

AE, Agencia Estado

19 de abril de 2009 | 16h34

Obama negou que Roxana seja uma espiã e disse que ela deveria ser solta. Ele falou sobre o caso em Port of Spain, Trinidad e Tobago, onde participou da Cúpula das Américas.

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, também falou sobre o caso neste domingo. Ahmadinejad pediu à promotoria pública de seu país que assegure amplo direito de defesa à jornalista, durante o trâmite do recurso por ela apresentado. A fala foi divulgada pela Agência de Notícias da República Islâmica, citando uma carta entregue pelo gabinete de Ahmadinejad ao procurador-geral de Teerã, Saeed Mortazavi.

No sábado, o Irã anunciou que Roxana, de 31 anos, havia sido condenada por espionagem e sentenciada a oito anos de reclusão. O advogado da jornalista disse que sua cliente apelaria da decisão. Depois da condenação, o pai da jornalista queixou-se durante entrevista de que sua filha não teve direito a uma ampla defesa. Ela foi julgada em um dia, a portas fechadas, uma semana atrás. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
espionagemjornalista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.