Obama pede mais tempo para realizar reformas e promessas de campanha

Em programa de televisão, presidente diz que 'mudanças não ocorrem da noite para o dia'

BBC

28 de outubro de 2010 | 10h23

Obama e o apresentador Jon Stewart conversam durante o Daily Show.

 

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Barack Obama, disse aos eleitores que precisa de mais tempo para realizar as reformas prometidas durante sua campanha. Obama fez o apelo na noite da quarta-feira, 26, durante uma aparição no programa satírico Daily Show. Ele foi o primeiro presidente a comparecer ao programa.

 

Veja também:

especial Infográfico: Mapa das eleições legislativas nos EUA

blog Radar Global: Conheça alguns dos candidatos

 

"É o bastante? Não. Então espero, assim como todos os outros democratas, que as pessoas queiram ver mais progresso", disse o presidente a apenas seis dias das eleições legislativas que renovarão um terço do Senado, toda a câmara e nas quais serão escolhidos 37 governadores.

 

Jon Stewart, apresentador do programa, questionou Obama sobre o porquê de os democratas estarem pedindo mais tempo para as reformas. O presidente, por sua vez, respondeu que tais mudanças "não acontecerão da noite par ao dia". "Quando nós prometemos durante a campanha que faríamos mudanças nas quais todos podem acreditar, não nos referíamos a mudanças que acontecerão em 18 meses", justificou.

 

Obama reconheceu que os americanos estão decepcionados com alguns aspectos, como o alto nível de desemprego e a instabilidade do mercado imobiliário, mas disse que os méritos do governo passaram despercebidos. Segundo o presidente, os democratas aprovaram uma "reforma histórica" do sistema de saúde para crianças e criou novas regras para o uso dos cartões de crédito.

 

Obama aproveitou o momento para pedir votos para seus candidatos nas eleições. Segundo ele, os democratas eleitos em regiões tradicionalmente republicanas devem ser recompensados com a reeleição. "Espero que essas pessoas sejam beneficiadas pelos duros votos que conseguiram", disse.

 

Segundo a Casa Branca, a ida de Obama ao Daily Show foi estratégica. "O público desse programa é mais jovem, e é um ótimo lugar para falar com eles", disse Robert Gibbs, porta-voz da Casa Branca. "O presidente não se intimida para ir em lugares onde as pessoas se informam e querem saber mais sobre ele", disse.

 

Leia ainda:

linkSetores que elegeram Obama podem mudar o voto

linkVoluntários convencem democratas a ir às urnas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.