Obama pede novas leis de controle de armas

O presidente dos EUA, Barack Obama, pediu ao Congresso que reforce as leis de controle sobre armas depois que um atirador matou 12 pessoas em um complexo da Marinha em Washington.

AE, Agência Estado

18 Setembro 2013 | 04h28

Obama disse que a "esmagadora maioria" dos norte-americanos concordaram com ele sobre a necessidade de bom senso na reforma da legislação sobre armas de fogo. "Eu fico preocupado que isso se torne um ritual que passamos a cada três, quatro meses, onde temos estes horríveis" incidentes, disse Obama em entrevista à rede de televisão de língua espanhola Telemundo.

"Todo mundo expressa um horror compreensível. Nós todos acolhemos as famílias... e, ainda assim, não estamos dispostos a tomar algumas medidas básicas."

Obama apresentou uma série de medidas, incluindo um plano para reforçar a análise de antecedentes de compradores de armas e uma proibição de rifles de assalto, depois que 20 crianças e seis adultos foram mortos no ataque a uma escola em Newtown, em Connecticut, em dezembro.

No entanto, o pacote de medidas fracassou no Congresso, em parte devido a uma campanha de lobby de grupos pró-armas e a oposição de alguns de seus colegas democratas de Estados conservadores, fazendo com que Obama tivesse de apresentar um conjunto menor de medidas usando seus poderes executivos.

"Em última análise, isso é algo que o Congresso vai ter" de abordar, disse Obama na entrevista. "Eu tenho tomado medidas que estão dentro do meu controle. A próxima fase agora é para que o Congresso vá em frente e se mova". Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
EUAObamaArmas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.