Obama pede que ação militar aumente no Sudão do Sul

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu ao Congresso para incrementar a ação militar no Sudão do Sul com o objetivo de proteger os norte-americanos que estão no país. Neste domingo, o governo central admitiu que perdeu o controle de Bentiu, capital do estado produtor de petróleo de Unity, para tropas leais ao ex-vice-presidente Rick Machar.

AE, Agência Estado

22 de dezembro de 2013 | 22h53

Em uma carta ao Congresso, Obama disse que 46 soldados norte-americanos desembarcaram no Sudão do Sul para socorrer os cidadãos norte-americanos. Outros 46 militares já estavam no país para reforçar a segurança da Embaixada dos Estados Unidos em Juba.

O presidente norte-americano está em suas férias de inverno anuais no Havaí, mas assegurou que está acompanhando de perto os conflitos que assolam o Sudão do Sul.

Os novos enfrentamentos no país aumentaram os temores de que o país seja cenário de uma guerra civil.

No sábado, quatro militares norte-americanos ficaram feridos. Segundo a Casa Branca, a condição dos quatro é estável. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
euasudão do sulobama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.