Obama pede que eleições no Líbano sejam mantidas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu que o Líbano mantenha as eleições planejadas para maio, apesar do agravamento das tensões na vizinha Síria, de acordo com informações da embaixada norte-americana em Beirute, divulgadas neste sábado.

Agência Estado

22 de março de 2014 | 15h33

O mandato do presidente do Líbano, Michel Sleiman, termina no dia 25 de maio e há preocupações sobre um sucessor, já que há divergências entre blocos do Líbano a favor e contra o retorno do presidente sírio Bashar al-Assad.

Em telefonema para o primeiro-ministro, Tammam Salam, o presidente Obama "pediu que a próxima eleição presidencial seja mantida e realizada de acordo com a constituição libanesa", informou, em comunicado, a embaixada dos Estados Unidos.

O documento ainda detalhou que o presidente Obama reconhece as dificuldades enfrentadas pelo Líbano em relação ao conflito da Síria e agradeceu ao primeiro-ministro Salam por acolher refugiados sírios, que somam, aproximadamente, 1 milhão de pessoas no Líbano.

Dominado por Damasco por 30 anos, até 2005, o Líbano está dividido sobre o conflito na Síria. O movimento xiita Hezbollah e seus aliados almejam pelo retorno do presidente Bashar al-Assad, enquanto a oposição sunita apoia a revolta contra seu governo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUALíbanoeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.