Obama pede que governador de Illinois renuncie

Blagojevich é acusado de leiloar vaga do presidente eleito no Senado; filho de Jesse Jackson é citado no caso

REUTERS, AP E NYT, O Estadao de S.Paulo

11 de dezembro de 2008 | 00h00

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, juntou-se ontem a vários outros políticos e pediu a renúncia do governador de Illinois, Rod Blagojevich, acusado de tentar vender a vaga de senador do Estado. O posto era ocupado por Obama, que renunciou para assumir a presidência. Robert Gibbs, porta-voz do presidente eleito, disse que "na atual circunstância é difícil para Blagojevich continuar servindo o povo de Illinois".Blagojevich retornou ao trabalho ontem, após ter sido preso e liberado sob fiança na terça-feira. Além da tentativa de vender a vaga de senador, o governador foi acusado de fraude, conspiração e suborno. O esquema foi descoberto por meio de gravações autorizadas pela Justiça. Em uma conversa com um dos candidatos à vaga, Blagojevich pediu um salário de até US$ 300 mil por ano em uma fundação sem fins lucrativos. Em outra, um dos pretendentes, até então identificado pelo FBI apenas como "candidato 5", ofereceu ao governador US$ 1 milhão. Ontem, o advogado de Jesse Jackson Jr. - filho do reverendo Jesse Jackson - disse que o deputado é o "candidato 5". Mas James Montgomery afirmou que Jackson Jr. nunca ofereceu dinheiro a Blagojevich para que este o indicasse para a vaga. Em uma entrevista coletiva, Jackson Jr. pediu ontem a renúncia de Blagojevich e afirmou não ter feito nada de errado. Jackson Jr. é deputado por Illinois desde 1995 e um dos favoritos à vaga. Ele foi co-presidente nacional da campanha de Obama. Na segunda-feira, antes do escândalo, ele foi sabatinado por uma hora e meia pelo governador. Na saída, Jackson elogiou Blagojevich. "O governador adotou um procedimento de seleção bastante cuidadoso. Ele está analisando uma série de questões e estou confiante que tomará a decisão correta", disse.Agora, o processo de seleção está suspenso. Mesmo que não renuncie, Blagojevich deve ser cassado. Nesse caso, a decisão ficaria com o vice, Pat Quinn. Mas há uma corrente defendendo que a escolha do senador seja feita pelo Congresso estadual. Há ainda um outro grupo, composto pelos principais líderes do Partido Democrata, que pediu ontem que o Legislativo estadual convoque uma eleição especial para preencher a vaga.Segundo o jornal The New York Times, foi um telefonema que Obama fez há três meses para seu mentor, Emil Jones, líder do Senado de Illinois, que desencadeou a prisão de Blagojevich. Na ocasião, Obama pediu que Jones aprovasse uma lei limitando a influência de doadores em campanhas políticas. O texto havia sido vetado por Blagojevich. Jones também era contra, mas mudou de idéia após a conversa.Assim, o Senado de Illinois derrubou o veto do governador. A legislação foi aprovada e entra em vigor dia 1º. Correndo contra o tempo, Blagojevich começou a pressionar empresários pedindo doações de campanha antes que as novas regras começassem a valer. A atitude chamou a atenção do FBI, que começou a monitorar suas ligações telefônicas. A prisão fez de Blagojevich o quarto dos últimos sete governadores de Illinois a ser preso por corrupção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.