Obama pede que país mostre solidariedade

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, voltou a manifestar pesar pelas 28 vítimas do massacre de Newtown, em Connecticut. Em pronunciamento semanal no rádio, o presidente exortou os americanos a mostrarem solidariedade após a chacina, a pior no país desde o massacre de VirginiaTech, em2007, que deixou 33 mortos.

O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2012 | 02h05

"É preciso tomar ações significativas para evitar novas tragédias como essa", disse o presidente. "Nossos corações estão cheios de dor." Obama, no entanto, voltou a evitar falar especificamente em leis de controle no acesso a armas, um tema polêmico nos EUA.

"Estamos enlutados pela dor das famílias que perdemos e nossas orações daqueles que sobreviveram", acrescentou o presidente. No dia anterior, em pronunciamento à nação, Obama chegou a chorar ao comentar o massacre, que matou 20 crianças entre 5 e 10 anos de idade.

Ao longo da campanha na qual se reelegeu, em novembro, o presidente democrata evitou tomar uma posição sobre o tema de controle de armas. Ontem, o prefeito de Nova York, o independente Michael Bloomberg, pediu que o presidente enviasse um projeto de lei ao Congresso. Nos últimos 30 anos, houve 61 tiroteios como o de sexta nos EUA. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.