EFE
EFE

Obama pede que Senado apoie compromisso com lei orçamentária

O Estado de S. Paulo

12 de dezembro de 2014 | 20h53

O presidente americano Barack Obama pediu aos republicanos e aos democratas para colocar de lado suas diferenças e finalizar a aprovação da lei orçamental de US$ 1,1 trilhão para 2015. Ele reconheceu que a proposta inclui pontos dos quais ele discorda, mas que não era um "projeto comprometido".

Após um dia de negociações exaustivas, a Câmara aprovou em uma votação acirrada o projeto na quinta-feira à noite. Os democratas se opuseram à alguns regulamentos financeiros sobre os bancos e a uma proposta de financiamento de campanha que elevou os limites para doações a partidos políticos.

A proposta está agora no Senado, onde líderes republicanos e democráticos estão lutando para conseguir os votos necessários para evitar uma paralisação.

Obama reconheceu o projeto de lei tem controvérsias, mas pediu que os membros de ambos os partidos se esforcem para chegar a um consenso. "Eu acredito que o povo americano está à procura de alguma prática de governança e vontade de compromisso. E isso é o que este projeto de lei exige. Estou feliz que foi aprovado na Câmara e eu estou esperançoso de que vai passar no Senado", afirmou o presidente. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
EUAorçamentoObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.