Obama pede que Senado aprove reforma da imigração

O presidente norte-americano, Barack Obama, pediu neste sábado, 8, que os parlamentares aprovem um projeto de lei para reforma do sistema de imigração que o Senado deve debater nesta semana. "Por anos, nosso desatualizado sistema de imigração prejudicou nossa economia e ameaçou nossa segurança", afirmou ele em discurso semanal na rádio. "O projeto de lei perante o Senado não é perfeito. É um compromisso. Ninguém consegue tudo o que quer - nem os democratas, nem os republicanos, nem eu", disse.

DOW JONES NEWSWIRES, Agência Estado

08 de junho de 2013 | 16h33

O projeto de lei bipartidário requer importantes avanços em segurança na fronteira, programas de visto para trabalhadores de alta e baixa qualificação, expansão de um sistema abrangente de online de verificação para os empregadores. "São todas medidas de senso comum", disse o presidente dos EUA. "Não há motivo para o Congresso não poder trabalhar junto para encaminhar um projeto de lei para minha mesa até o fim do verão."

O documento precisa de 60 votos para ser aprovado pelo Senado e, posteriormente, será destinado à Câmara dos Representantes, onde seu destino é incerto e os parlamentares estão elaborando sua própria legislação. Desde a derrota nas eleições presidenciais de 2012, os líderes republicanos mudaram de posições e agora apoiam a reforma do sistema de imigração, a fim de reconquistar o eleitorado hispânico, cuja influência deve crescer nas próximas votações.

Mas a ala direita do partido ainda representa um obstáculo, com os conservadores resistindo ao que veem como uma "anistia" aos imigrantes que descumpriram a lei ao permanecerem no país ilegalmente.

O presidente pediu aos norte-americanos que ajudem a defender a legislação: "Digam a eles que nós temos o poder de fazer isso de um modo que faz jus à nossa tradição como uma nação de leis, e uma nação de imigrantes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.