Obama planeja visitar zona desmilitarizada entre Coreias

Em meio a novas tensões com a Coreia do Norte por causa da previsão de lançamento de um foguete, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama pretende visitar a zona desmilitarizada que separa as Coreias do Sul e do Norte no início de uma viagem internacional na próxima semana, informou a Casa Branca na terça-feira.

AE, Agência Estado

21 de março de 2012 | 10h14

A viagem no domingo para a fronteira mais protegida do mundo carrega óbvio simbolismo ligado à Guerra Fria, enquanto Obama tenta promoter novas negociações sobre desarmamento nuclear com Pyongyang.

"A zona desmilitarizada é a linha de frente da democracia da península coreana" e é um símbolo da unidade norte-americana com seu aliado militar, a Coreia do Sul", disse Daniel Russel, diretor para a Ásia do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca. "Uma visita do presidente ao local para ver e para agradecer os militares norte-americanos e sul-coreanos faz muito sentido."

Auxiliares de Obama lembraram que a visita do presidente acontece quase dois anos após o afundamento de um navio de guerra sul-coreano, que Seul e Washington afirmam ter sido uma ação norte-coreana.

Obama vai visitar os cerca de 28.500 soldados estacionados na Coreia do Sul, que representam um legado da guerra da Coreia, ocorrida seis décadas atrás. A zona desmilitarizada é a primeira parada de uma visita de três dias a Seul, para um cúpula internacional sobre como manter materiais nucleares distantes das mãos de terroristas.

A reunião de representantes de mais de 50 países tem como meta fazer um balanço dos progressos na direção de impedir a circulação de material nuclear ao redor do mundo até 2014.

A Coreia do Norte construiu e testou artefatos nucleares e é suspeita de distribuir armas de destruição em massa para outros países. A Coreia do Norte não foi convidada para a reunião.

"A reunião de segurança nuclear não é sobre a Coreia do Norte", disse Russel. "É sobre o compromisso das nações participantes de honrar suas promessas e suas obrigações".

Secretários de Estado e de Defesa visitam a zona desmilitarizada regularmente, assim como outras autoridades norte-americanas, mas uma visita presidencial é mais simbólica. A de Obama será a primeira desde 2002, quando George W. Bush visitou a vila de Panmunjom, na região, semanas depois de ter incluído a Coreia do Norte no "eixo do mal". As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaCoreiasvisita

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.