Obama: plano reduz desemprego em 1 ponto porcentual

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que seu plano de criação de empregos pode reforçar o crescimento da economia em 2 pontos porcentuais e tirar um ponto porcentual da taxa de desemprego, citando pela primeira vez estimativas de impacto do projeto. A Casa Branca tem sido cautelosa ao fazer previsões para a Lei de Empregos Americana, sabendo que suas previsões para o plano de estímulos de 2009 acabaram sendo otimistas demais, transformando-se em uma potente arma política para seus adversários.

AE-DOW JONES, Agência Estado

16 Setembro 2011 | 01h42

Mas Obama deu mais detalhes sobre o plano em um evento do Partido Democrata para levantamento de fundos de campanha em Washington, no momento em que ele intensifica a pressão para obrigar o Congresso a aprovar o projeto de US$ 447 bilhões, que se inclina na direção de cortes de impostos sobre a folha de pagamento. "Estima-se que a Lei de Empregos Americana adicionará dois pontos porcentuais ao PIB e acrescentará até 1,9 milhão de empregos, trazendo a taxa de desemprego para baixo em um ponto porcentual", disse Obama.

As declarações do presidente seguem a estimativa feita por Mark Zandi, economista-chefe da Moody''s Analytics. Outras estimativas de analistas sugeriram que a lei terá um impacto menor. Atualmente, a taxa de desemprego está em 9,1% e a Casa Branca foi criticada durante dois anos por ter previsto que o plano de estímulo de US$ 800 bilhões, aprovado pouco depois da posse de Obama, manteria a taxa abaixo de 8%. As informações são da Dow Jones. (Hélio Barboza)

Mais conteúdo sobre:
RUAObamaplanoempregos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.