Obama poderá anunciar retirada de até 10 mil soldados do Afeganistão

Plano seria mandar de volta para casa cerca de 33 mil soldados até meados de 2012; presidente fala às 21h

estadão.com.br,

22 de junho de 2011 | 07h55

Atualizada às 19h51

 

Soldados americanos fazem ronda em distrito de Kandahar, no sul do Afeganistão, nesta quarta 

 

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deve anunciar a retirada de até 10 mil soldados americanos do Afeganistão ao longo deste ano, e de outros 23 mil até meados de 2012. A informação é de uma fonte no Congresso, segundo a Reuters. Obama vai fazer um discurso em Washington às 20h locais (21h em Brasília) para anunciar os números e o ritmo da retirada.

 

Veja também:

blogAO VIVO: Leia informações no Twitter da editoria

blog AO VIVO: Assista ao vídeo do discurso de Obama

som Até 2014, todos os soldados devem ser retirados

especialTrês décadas de caos e violência no Afeganistão

linkPesquisa: aumenta pressão por saída imediata

 

A expectativa é a de que Obama anuncie um contingente limitado, estimado entre 3 e 5 mil militares. O número equivale a até 5% do total das tropas dos EUA no front, de cerca de 100 mil soldados. Outro lote, de até 5 mil soldados, sairia até o fim do ano. 

 

O número de soldados mandados de volta para casa no ano que vem, em que Obama tentará a reeleição, pode ser de 20 a 33 mil segundo fontes nos EUA. De acordo com a correspondente do jornal O Estado de S. Paulo em Washington, Denise Chrispim Marin, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, evitou antecipar oficialmente os números que serão anunciados hoje.

 

No pronunciamento, Obama tentará explicar mais uma vez as prioridades dos EUA no Afeganistão: destruir o Taleban e a Al-Qaeda e estabilizar e reconstruir o país. "O presidente tornará isso claro", disse Carney.

 

Várias opções na mesa

 

Entre os militares cujo fim da missão deve ser marcado para julho, estarão incluídos soldados que não chegaram a desembarcar no Afeganistão e estão mobilizados em bases nos EUA, segundo o jornal Washington Post. De acordo com o New York Times, no entanto, ainda há várias opções na mesa de como montar a estratégia de retirada, cuja meta é reduzir para 70 mil o número de militares ao fim de 2012.

 

O tenente-general Douglas Lute, principal consultor militar de Obama, diz o jornal, defende a retirada de um total de 15 mil soldados até o final deste ano e de outros 15 mil no fim de 2012. Já o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, advoga a retirada de um total de 30 mil entre julho deste ano e julho de 2012.

 

O secretário de Defesa, Robert Gates, tentou reverter a frustração que poderia ser causada por um corte imediato mais conservador. Para o chefe do Pentágono, que deixa o cargo no final do mês, a fadiga do Congresso e do povo americano com a guerra do Afeganistão estará refletida no plano a ser anunciado por Obama.

 

Com Agência Estado e Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAfeganistãotropasretiradaObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.