Obama prevê dias difíceis durante transição no Iraque

O presidente dos EUA, Barack Obama, alertou que "haverá dias difíceis" no Iraque e afirmou que os norte-americanos continuarão sendo fortes parceiros do país. Os comentários foram realizados ontem, durante a cerimônia de comemoração do dia da Independência dos EUA na Casa Branca.

AE-AP, Agencia Estado

05 de julho de 2009 | 11h06

Em um pronunciamento direcionado às famílias de militares, Obama afirmou que, graças à coragem, à capacidade e ao comprometimento dos soldados que serviram no Iraque, o país agora está "assumindo o controle do próprio destino". "O futuro do Iraque agora está nas mãos de seu próprio povo. Por mais extraordinário que isto seja, sabemos que a transição não ocorrerá sem problemas", acrescentou.

As tropas norte-americanas deixaram as cidades iraquianas nesta semana, como parte de um acordo de segurança que prevê uma retirada total até o final de 2011. No entanto, há crescentes receios de que a falta de progresso político alimente a violência no país. "Sabemos que haverá dias difíceis. E este é o motivo pelo qual continuaremos sendo fortes parceiros do povo iraquiano em nome de sua segurança e prosperidade", afirmou Obama.

As filhas do presidente norte-americano, Sasha e Malia, estavam presentes durante o pronunciamento. Malia Obama completou 11 anos ontem.

"Eu diria que uma garota em particular está feliz por vocês todos estarem aqui - e ela é Malia Obama, porque hoje é aniversário dela", disse Obama, recebendo aplausos em seguida. "Quando ela era mais nova, eu dizia que todos estes fogos de artifício eram para ela. Não tenho certeza se ela ainda acredita." As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.