Obama promete a Kan assistência a longo prazo para crise de Fukushima

Em conversa telefônica, líderes acordaram continuar trabalhando em conjunto para reduzir o risco proveniente da usina de Fukushima; Sarkozy visitará o país na próxima quinta-feira

Efe,

30 de março de 2011 | 05h04

TÓQUIO - O presidente americano, Barack Obama, prometeu nesta quarta-feira, 30, em uma conversa telefônica com o primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, assistência a longo prazo ao país para fazer frente à crise nuclear e às consequências do terremoto do dia 11.

 

Os dois líderes acordaram continuar trabalhando em conjunto para reduzir o risco proveniente da usina de Fukushima Daiichi, onde quatro dos seis reatores ainda não estão controlados e podem seguir liberando material radioativo.

 

Segundo fontes do Ministério das Relações Exteriores japonês citadas pela agência local Kyodo, Kan agradeceu aos EUA pelo "total apoio" desde os primeiros momentos após o terremoto e o posterior tsunami de 11 de março, que devastaram a costa nordeste japonesa e deixaram mais de 27.500 vítimas, entre mortos e desaparecidos.

 

A conversa telefônica desta quarta-feira, que durou 25 minutos, é a terceira entre Kan e Obama desde o terremoto de 9 graus.

 

Os Estados Unidos forneceram ajuda humanitária aos desabrigados pelo tremor nas zonas mais afetadas, assim como especialistas e equipes para resfriar e estabilizar os reatores da central de Fukushima.

 

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, deve chegar ao Japão na quinta-feira, o que o tornará o primeiro líder a visitar o país asiático após o desastre natural e o subsequente acidente nuclear.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.