Obama promete cautela após ataque em embaixada

O presidente norte-americano, Baracak Obama, parece determinado a garantir que não ocorra outro incidente como o de Benghazi. Ele foi severamente criticado pelos republicanos pela maneira como o seu governo lidou no ano passado com o ataque na Líbia.

AE, Agência Estado

10 de agosto de 2013 | 14h00

Desta vez, as autoridades adotaram uma dose extra de cautela após a inteligência ter sugerido que um possível atentado do grupo Al-Qaeda estaria em andamento. Em resposta, os Estados Unidos fecharam 19 postos diplomáticos no Oriente Médio e na África por cerca de uma semana, mas planejam reabrir 18 deles no domingo.

A medida foi adotada quase um ano depois que militantes invadiram a embaixada dos EUA em Benghazi, no leste da Líbia, e mataram quatro pessoas, incluindo o então embaixador norte-americano no país, Chris Stevens. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAcautelaataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.