Obama promete continuar ataques contra Estado Islâmico

O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou nesta segunda-feira que os ataques aéreos do Exército norte-americano para barrar o avanço do grupo extremista Estado Islâmico no Iraque vão continuar. Obama afirmou, porém, que os Estados Unidos não vão reenviar tropas para a região. "O Iraque vai ter que providenciar a própria segurança", disse.

THIAGO MORENO, Estadão Conteúdo

18 de agosto de 2014 | 18h37

O presidente lembrou que a retomada da represa de Mosul, no norte do Iraque, pelo Exército do país e pelas forças de segurança curdas é "um enorme passo a frente" na batalha contra militantes do Estado Islâmico. Falando da Casa Branca, Obama afirmou que se a barragem do rio Tigre tivesse sido danificada, as consequências seriam catastróficas e teriam colocado em perigo os funcionários da embaixada norte-americana em Bagdá.

Sobre a nomeação do novo primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, o líder norte-americano disse estar impressionado até agora, mas que o novo governo precisa tomar medidas para garantir um governo inclusivo. "Um novo governo inclusivo receberá mais apoio nosso", disse o presidente.

Obama afirmou que os EUA estão fornecendo armas e assistência para as forças tanto do Iraque quanto do Curdistão, enquanto tentam reverter o avanço do grupo extremista. Segundo ele, a contenção do Estado Islâmico é uma questão de segurança nacional. (com informações da Associated Press e da Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.