Obama promete dar prioridade às mudanças climáticas

Washington terá papel de liderança no combate ao 'desafio urgente' do aquecimento global, diz novo presidente

Agência Estado e Associated Press,

18 de novembro de 2008 | 18h42

Ao chamar as mudanças climáticas de um "desafio urgente" o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu nesta terça-feira, 18, que Washington tomará um papel de liderança no combate ao aquecimento global não apenas nos EUA, mas no mundo inteiro. Obama falou em uma mensagem gravada de quatro minutos, para a conferência sobre o clima que ocorre na Califórnia.   Veja também: O gabinete de Barack Obama Principais desafios de Obama  Quem são os eleitores de Obama   Trajetória de Obama  Cobertura completa das eleições nos EUA   A conferência, que durará dois dias, reúne 800 cientistas de 19 países e foi promovida pelo governador da Califórnia, o republicano e ex-astro de Hollywood Arnold Schwarzenegger, defensor de causas ambientais. "Minha presidência marcará um novo capítulo na liderança americana contra as mudanças climáticas", disse Obama, na mensagem, aos governadores e cientistas que participam do encontro em Los Angeles. Obama reiterou sua apoio ao sistema de créditos de carbono para cortar as emissões de gases poluentes. Ele disse que estabelecerá metas anuais para reduzir as emissões de gases poluentes aos níveis de 1990 até 2020, e depois reduzi-las novamente em outros 80% até 2050. Obama também prometeu investir US$ 15 bilhões a cada ano para apoiar pesquisas das empresas privadas em busca de energias mais limpas.Schwarzenegger disse que os países não podem proteger ao mesmo tempo o meio ambiente e suas economias. Obama fez eco à mensagem e disse que a economia norte-americana continuará a se enfraquecer se as mudanças climáticas e a dependência ao petróleo estrangeiros não forem enfrentadas.O presidente dos EUA, George W. Bush, tem sido criticado por fracassar em fazer o suficiente para combater as mudanças climáticas e Obama já prometeu ação rápida para enfrentar o problema. Líderes no Congresso dos EUA, controlado pelos democratas, indicaram que não estão preparados para agir até 2010, para dar impulso a um projeto de lei que limitará a emissão de gases poluentes, responsabilizados pelo aquecimento global. Os EUA e a China são os dois maiores emissores de gases poluentes do mundo.Mas Obama poderá começar a lutar contra o aquecimento através de medidas administrativas, sem passar pelo Congresso. Em seu comentário desta terça, Obama criticou Washington por fracassar em lidar com a questão no passado. "Eu prometo a vocês o seguinte: quando eu for presidente, qualquer governador que quiser promover a energia limpa terá a Casa Branca como parceira. Qualquer empresa que quiser investir em energia limpa terá um aliado em Washington. E qualquer nação que se juntar à causa do combate ao aquecimento global terá os EUA como aliados", afirmou Obama. O encontro mundial promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU) sobre as mudanças climáticas ocorrerá em dezembro na Polônia. O encontro que começou hoje em Los Angeles, promovido por Schwarzenegger, reuniu os governadores norte-americanos que lutam contra as mudanças climáticas."Quando eu tomar posse, vocês podem ter certeza de que os EUA irão, novamente, se engajar vigorosamente nessas negociações, e ajudarão a liderar o mundo em direção a uma nova era de cooperação global sobre o problema da mudança climática", disse Obama.  

Tudo o que sabemos sobre:
Barack Obamaeleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.