Obama promete reforma em política de ajuda a outros países

Em discurso na ONU, presidente dos EUA cita investimentos e desenvolvimento como chaves para tirar países da pobreza.

BBC Brasil, BBC

23 de setembro de 2010 | 00h03

O presidente americano, Barack Obama, disse nesta quarta-feira em Nova York que uma reforma na política dos Estados Unidos de ajuda a países estrangeiros vai ajudar a tirar países da pobreza.

Obama fez as declarações durante a Cúpula de Revisão das Metas do Milênio da ONU e acrescentou que a política americana de ajuda vai se concentrar em boa governança e o encorajamento do comércio e investimento.

O presidente americano insistiu que ajudar os países pobres faz parte dos interesses dos Estados Unidos.

"Suspeito que alguns em países mais ricos podem perguntar, com as nossas economias em dificuldade, tantas pessoas sem emprego, tantas famílias mal conseguindo se manter, qual a razão de uma reunião de cúpula sobre desenvolvimento?"

"E a resposta é simples. Em nossa economia global, o progresso até nos países mais pobres pode avançar com a prosperidade e segurança de pessoas bem além de suas fronteiras, incluindo a dos americanos", afirmou.

"Quando milhões de pais não podem sustentar suas famílias, isto alimenta o desespero que pode alimentar a instabilidade e o extremismo violento."

Obama acrescentou que os Estados Unidos vão fazer sua parte para ajudar a tirar milhões da pobreza, mas insistiu que o objetivo deve ser o desenvolvimento e não a dependência.

"Se a comunidade internacional apenas continuar fazendo as coisas do mesmo jeito, não vamos alcançar muitos dos objetivos de desenvolvimento", afirmou.

As Metas do Milênio foram estabelecidas em 2000 e pretendem reduzir a pobreza no mundo e melhorar as condições de vida nos países em desenvolvimento até 2015.

Corrupção

Obama anunciou um novo objetivo na ajuda americana, indo além do fornecimento de assistência para oferecer para "nações e povos um caminho fora da pobreza".

Segundo o presidente americano isto seria feito com um trabalho com nações cooperativas para desenvolver suas economias no longo prazo.

Obama também falou que países que querem criar ambientes atrativos para investimentos e comércio receberão ajuda e a democracia e boa governança serão encorajadas. E acrescentou que os Estados Unidos estão liderando "um esforço global para combater a corrupção".

"Vamos ajudar países que estão fazendo a transição do autoritarismo para a democracia e da guerra para a paz. O povo na Libéria mostra que, mesmo depois de anos de guerra, um grande progresso pode ser alcançado", disse o presidente americano.

De acordo com o correspondente diplomático da BBC Jonathan Marcus, este discurso de Obama foi contido, até mesmo humilde, o que sugere que os Estados Unidos querem ouvir os outros países ao invés de continuar liderando no cenário internacional.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.