Obama: proposta sobre NSA resolve preocupações

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta terça-feira em Haia, na Holanda, que a proposta de fazer as empresas de telefonia dos EUA armazenarem os dados de registro de chamadas telefônicas, que hoje são guardados pelo governo norte-americano, resolveria as preocupações do público sobre privacidade.

AE, Agência Estado

25 de março de 2014 | 16h38

O governo Obama deve propor esta semana que o Congresso reformule o programa de vigilância eletrônica para encerrar a prática governamental de coletar registros de ligações de milhões de norte-americanos e armazená-los por cinco anos para que os dados possam ser acessados para finalidades de segurança nacional.

Detalhes do programa secreto de coleta de gravação de telefonemas do governo norte-americano foram revelados no ano passado pelo ex-analista da Agência de Segurança Nacional (NSA) Edward Snowden, que permanece em Moscou, na Rússia, em asilo temporário.

A expectativa é de que a Casa Branca proponha que os registros sejam mantidos por companhias telefônicas por 18 meses, o que a lei federal já prevê. A proposta foi revelada ontem pelo jornal The New York Times. O plano do presidente exigiria ações do Congresso norte-americano, algo que até agora parece improvável. Há várias propostas concorrentes sobre como reformar o programa de coleta de registros telefônicos. Há diferenças de opinião mesmo dentro dos partidos políticos sobre como fazer isso.

O programa de coleta de registros de ligações telefônicas em massa deve expirar no próximo verão (do Hemisfério Norte). Se o Congresso não conseguir concordar com alterações antes disso, o programa será encerrado por completo. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.