Obama que republicanos 'parem de andar pelas margens'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se manifestou nesta quinta-feira determinado a mudar o tom da política governamental e incitou os republicanos a "parar de andar pelas margens" para que contribuam para resolver a situação do sistema nacional de saúde, entre outros problemas.

AE-AP, Agencia Estado

28 de janeiro de 2010 | 21h53

Ao sair de uma reunião pública na cidade de Tampa, na Flórida, Obama retomou seu discurso sobre o Estado da União, feito na noite da quarta-feira, e insistiu em que os eleitores e os políticos precisavam "começar a se ver primeiro como americanos".

Obama e o vice-presidente Joe Biden viajaram à Flórida para anunciar vários projetos com um montante de US$ 8 bilhões em subvenções federais para construir trens de alta velocidade no país, que fazem parte de seu plano para combinar o gasto em infraestrutura e criação de empregos.

O presidente deu ênfase aos republicanos e clamou pela sua cooperação: "Nosso diálogo político neste país sempre foi desordenado e ruidoso", disse Obama às pessoas que assistiram seu discurso na Universidade de Tampa. "Todos somos americanos. Todos devemos esperar que os outros, inclusive os que discordam de nós, têm as melhores intenções. Não temos que menosprezá-los. Não temos que satanizá-los".

A agenda de Obama e o apoio dos democratas tiveram um retrocesso na semana passada pelo surpreendente triunfo republicano nas eleições para o Senado no Estado de Massachusetts.

Tudo o que sabemos sobre:
EuaObamaPolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.