Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Obama quer 'estratégia de saída' do Afeganistão

Presidente americanos diz que missão principal no país é prevenir ataques contra EUA.

BBC Brasil, BBC

23 de março de 2009 | 06h45

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que os Estados Unidos precisam de uma estratégia para a retirada militar do Afeganistão.

"O que estamos buscando é uma estratégia ampla", disse o presidente em entrevista à rede de TV americana CBS, sobre os planos que seu governo deve anunciar em breve para o Afeganistão. "Tem que haver uma estratégia de saída. Deve-se interpretar que esta não é uma tendência permanente."

Obama, que no mês passado ordenou o envio de um contingente extra de 17 mil soldados americanos para o Afeganistão, admitiu que só a presença militar não será suficiente para que Washington atinja seus objetivos.

Entre as metas estão a derrota dos militantes do Talebã e da rede extremista Al-Qaeda.

Segundo o presidente americano, uma estratégia eficaz pode incluir o fortalecimento da economia afegã e a melhoria dos laços diplomáticos do país com o Paquistão e outros da região.

Obama destacou, contudo, que Washington "não pode perder de vista qual é a nossa missão central".

"Garantir que a Al-Qaeda não possa atacar o território dos Estados Unidos, os interesses dos Estados Unidos e de nossos aliados. Esta é a nossa primeira prioridade."

O presidente afirmou que a tarefa central é a mesma de quando as forças americanas foram enviadas para o Afeganistão, depois dos ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Mais cedo, o emissário especial dos Estados Unidos ao Afeganistão e ao Paquistão, Richard Holbrooke, disse que a política americana para os dois países não será mais separada.

"Nós temos que integrar ambas (as políticas) e esperamos que o resto do mundo junte-se a nós neste esforço", disse o embaixador.

Holbrooke disse que os redutos do Talebã nas áreas tribais do Paquistão ao longo da fronteira afegã são o problema principal do Afeganistão.

Segundo ele, a era de "negligência" dos Estados Unidos acabou, e haverá mais soldados, recursos e atenção de alto nível à região.

Autoridades afegãs disseram que oito policiais morreram e um ficou ferido em uma emboscada realizada por combatentes do Talebã nesta segunda-feira.

A emboscada foi no distrito de Spin Boldak, na província de Kandahar, no sul do país.

Na província vizinha, Helmand, as forças da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte, a aliança de defesa ocidental) disseram que suas forças mataram um alto comandante do Talebã e nove de seus assessores em uma operação no domingo. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.