Doug Mills/The New York Times
Doug Mills/The New York Times

Obama reconhece ativista de direitos humanos antes de deixar Riad

O presidente dos EUA premiou a dra. Maha Al Muneef por seus trabalhos

O Estado de S. Paulo,

29 de março de 2014 | 20h02

RIAD - Antes de partir de Riad, na Arábia Saudita, neste sábado (29) pela manhã, o presidente dos EUA, Barack Obama, reuniu-se em um hotel com a dra. Maha Al Muneef, ativista saudita que luta contra a violência doméstica e o abuso infantil.

No início de março, a dra. Maha foi uma das dez mulheres homenageadas pelo Departamento de Estado americano com um prêmio entregue a “mulheres corajosas”, que advogam pela paz, justiça, direitos humanos e igualdade de gênero em todo o mundo. Mas ela não pôde viajar a Washington para receber o prêmio.

Pediatra, especialista em doenças infecciosas, Maha dirige um Programa Nacional de Proteção à Família, fundado por ela em 2005, que levantou esforços para recolher estatísticas sobre a violência doméstica.

Maha também esteve intimamente envolvida na elaboração de uma nova legislação para proteger essas vítimas. A Lei de Proteção contra Abuso, aprovada pelo Conselho de Ministros no ano passado, foi a primeira a criminalizar a violência doméstica na Arábia Saudita.

“Nós estamos muito, muito orgulhosos de você e agradecidos por todo o trabalho que está fazendo aqui. Estou ansioso para vê-la fazer coisas ainda mais maravilhosas no futuro”, disse o presidente Barack Obama, que apresentou formalmente o prêmio à dra. Maha no hotel, em Riad.

O presidente ainda posou ao lado da ativista para os fotógrafos e elogiou seus esforços “para convencer (os sauditas) de que se trata de uma questão que será importante a longo prazo”. / NYT

Tudo o que sabemos sobre:
EUAdireitos humanosBarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.