Obama reforça pressão para Irã esclarecer esforços nucleares

O presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou neste sábado que o Irã precisa tomar uma atitude para demonstrar suas intenções pacíficas depois da descoberta de uma usina nuclear subterrânea ou será responsabilizado pelas nações mundiais.

(AE-AP), Agencia Estado

26 de setembro de 2009 | 10h38

Em sua mensagem semanal via rádio e internet, Obama disse que as evidências que mostram o Irã construindo a usina subterrânea para enriquecer urânio, que pode ser usado para uma bomba atômica, "dão continuidade a um padrão preocupante de evasiva iraniana" que coloca em risco a não-proliferação global.

Ele instou Teerã a mais uma vez abrir o local a inspetores internacionais ou enfrentar consequências. A principal opção seria sanções econômicas severas, mas, na sexta-feira, Obama e autoridades do governo não descartaram uma ação militar.

"Minha oferta de um diálogo sério, significativo, para resolver a questão continua em aberto", disse Obama. "Mas o Irã precisa cooperar totalmente com a Agência Internacional de Energia Atômica e tomar uma atitude para demonstrar suas intenções pacíficas."

"Os líderes iranianos precisam escolher agora - podem corresponder à altura de suas responsabilidades e alcançar integração com a comunidade das nações. Ou enfrentarão mais pressão e isolamento, e negarão uma oportunidade a seu povo", acrescentou Obama.

Evidências de uma usina nuclear subterrânea foram reveladas na sexta-feira por EUA, Reino Unido e França, no encontro do G-20 em Pittsburgh. Logo em seguida, o presidente russo, Dmitry Medvedev, em própria entrevista coletiva, instou o Irã a cooperar, assim como o ministro de Relações Exteriores da China, He Yafei. He, contudo, não endossou sanções contra o país.

"Sobre isso, a comunidade internacional está mais unida do que nunca, de que o Irã precisa atender suas responsabilidades", disse Obama.

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou na sexta-feira que a nova usina que seu país está construindo segue as regras da AIEA e que não há nada secreto na instalação. "O que estamos fazendo é totalmente legal. Notificamos a AIEA. A agência vai verificar o local e produzir um relatório. Não há nada secreto", afirmou Ahmadinejad. Segundo Teerã, a instalação precisa de no mínimo 18 meses para ser concluída.

O chefe nuclear do Irã afirmou neste sábado que o governo vai marcar uma data para inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) visitarem a usina nuclear recém-descoberta.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaIrãusina nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.