Obama rejeita pedido de McCain para adiar o debate

O candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, rejeitou o pedido do seu rival republicano, John McCain, para adiar o primeiro dos três debates presidências entre os dois, que deverá ocorrer na noite de sexta-feira. Mais cedo, McCain fez o pedido, quando anunciou que suspenderá a partir da quinta-feira sua campanha eleitoral e irá a Washington para discutir no Congresso a proposta de pacote feita pela administração do presidente George W. Bush para socorrer o setor financeiro. "Presidentes precisam lidar com mais de um assunto ao mesmo tempo", disse Obama. O candidato democrata disse não ver "razão para não sermos construtivos no problema (a crise financeira)", mas disse que é mais conveniente manter o debate.Obama disse que sua campanha e a de McCain ainda estão trabalhando em um comunicado conjunto dos dois candidatos sobre um acordo bipartidário para apoiar o pacote gigantesco de US$ 700 bilhões, cuja proposta foi enviada no início desta semana ao Congresso. Ambos os candidatos são senadores. Obama disse, de qualquer maneira, que a América quer assistir, mais do que nunca, a um debate entre ele e McCain.Mais cedo, a Casa Branca elogiou a decisão de McCain de suspender sua campanha para se concentrar na crise financeira, dizendo que o apoio bipartidário de McCain e do candidato democrata será útil para alcançar um acordo sobre o plano de socorro financeiro. Os democratas afirmam que a iniciativa de fazer um comunicado conjunto partiu antes de Obama, que telefonou a McCain na manhã de hoje. McCain teria respondido apenas à tarde, concordando com o comunicado. O adiamento do debate não faria parte da proposta democrata. Obama descreveu a conversa com McCain como "cordial". Com informações da Associated Press e da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.