Doug Mills/The New York Times
Doug Mills/The New York Times

Obama rejeita se desculpar por investigação sobre vazamentos à mída

Presidente dos EUA afirma que informações poderiam comprometer a segurança nacional

Reuters,

16 de maio de 2013 | 17h03

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Barack Obama, disse nesta quinta-feira, 16, que não tem desculpas a pedir por sua preocupação com os vazamentos para a mídia que poderiam comprometer a segurança nacional dos EUA ou colocar militares e oficiais de inteligência americanos em risco.

Obama manifestou total confiança no secretário de Justiça, Eric Holder. O presidente não quis comentar a apreensão pelo Departamento de Justiça dos registros telefônicos de jornalistas da agência Associated Press, como parte de uma investigação sobre vazamento de informações para a mídia sobre um plano de militantes no Iêmen para explodir um avião de passageiros dos EUA.

"Vazamentos relacionados à segurança nacional podem colocar as pessoas em risco", disse Obama em entrevista coletiva. "E assim eu não peço desculpas e não acho que o povo americano esperaria de mim, como comandante, não estar preocupado com informações que possam comprometer suas missões ou levá-los à morte", disse Obama.

O presidente expressou apoio à reforma de uma lei de imprensa que diz que iria equilibrar a necessidade de proteger a liberdade de imprensa com as preocupações de segurança nacional.

 
Tudo o que sabemos sobre:
EUABarack Obamagrampos telefônicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.