Obama reúne assessores para tratar de ataque químico

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reuniu com seus principais assessores de segurança nacional no início deste sábado para discutir uma resposta a alegada utilização de armas químicas da Síria, disse um funcionário da Casa Branca.

FERNANDO TRAVAGLINI, Agência Estado

24 de agosto de 2013 | 12h01

"O presidente orientou a comunidade de inteligência para reunir fatos e provas, para que possamos determinar o que ocorreu na Síria. Uma vez que os fatos tenham sido apurados, o presidente vai informar sobre sua decisão", disse o funcionário.

"Temos uma gama de opções disponíveis, e nós vamos tomar decisões consistentes com o nosso interesse nacional", completou o porta-voz.

Obama está sob crescente pressão para agir após relatos de um ataque químico em massa perto de Damasco, a respeito do qual grupos de oposição dizem que matou cerca de 1.300 pessoas.

O governo sírio negou o uso de armas químicas. O Irã, principal aliado regional do governo da Síria, disse neste sábado que há "provas" de que os rebeldes sírios utilizaram armas químicas no conflito com o regime do presidente Bashar Assad.

O presidente dos EUA, Barack Obama, convocou a reunião na Casa Branca justamente para discutir os próximos passos envolvendo a questão do uso de armas químicas na Síria. Os EUA também moveram navios para a região. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
armas químicasbarack obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.