Obama sai em campanha para impedir vitória republicana

Obama sai em campanha para impedir vitória republicana

O principal fator a arrefecer o desempenho dos candidatos democratas nas eleições é a queda na popularidade do presidente

Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2014 | 11h17

Os eleitores norte-americanos irão às urnas no dia 4 de novembro em uma votação que deve entregar o controle do Senado aos republicanos, reduzindo o apoio ao presidente Barack Obama no Congresso. Para tentar evitar isso, Obama irá participar de campanhas em seis Estados em que a disputa entre democratas e republicanos está apertada.

Por enquanto, a maior parte dos analistas políticos do país indica que há uma chance de 65% a 70% do Partido Republicano assumir seis novos lugares no Senado e anular a maioria obtida pelos rivais no último pleito. Os republicanos já são maioria na Câmara dos Deputados.

O principal fator a arrefecer o desempenho dos candidatos democratas nas eleições é a queda na popularidade de Obama, que está pouco acima do menor nível em seis anos. Ele não está envolvido diretamente na disputa, mas seu mau desempenho está afetando colegas de partido, alguns dos quais se recusaram a tê-lo em seus palanques.

Dentre os fatores que fortalecem o apoio dos eleitores à oposição está o modo com o qual os Estados Unidos lidaram com o surto de ebola registrado neste mês. O governo tem sido criticado por falhas ou lentidão em sua resposta à ameaça do vírus.

Além disso, a difícil recuperação do país na crise internacional e a tensão no Oriente Médio, onde os Estados Unidos falham em conter os militantes do grupo Estado Islâmico, também devem afetar os democratas nas eleições da semana que vem. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.