Obama se diz moderadamente otimista sobre caso fiscal

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que está moderadamente otimista sobre um acordo para evitar o abismo fiscal e isentou o partido democrata de um eventual fracasso nas negociações, em entrevista ao programa "Meet the Press", da rede de televisão NBC.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, CORRESPONDENTE, Agência Estado

30 de dezembro de 2012 | 13h45

Faltando pouco mais de um dia para o término do prazo para se costurar um acordo, Obama voltou a pedir ao Congresso americano que chegue a um consenso para evitar o abismo fiscal e culpou o partido republicano pelo fracasso das negociações até agora. Obama afirmou que a resistência dos republicanos em aumentar os impostos para os americanos mais ricos vai levar a uma alta de tributos para toda a classe média dos EUA e afetar a economia do país em 2013.

"Estamos conversando com os republicanos desde que a eleição acabou", disse Obama, ressaltando que o partido tem encontrado dificuldade em dizer sim a repetidas propostas dos democratas.

A conversa com o presidente foi gravada no sábado e uma transcrição foi divulgada na manhã deste domingo pela NBC. "Estava moderadamente otimista na sexta-feira, mas ainda não enxergamos um acordo. E agora a pressão está com o Congresso".

Mais conteúdo sobre:
EUAabismo fiscalObamademocratas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.