Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
REUTERS/Carlos Barria
REUTERS/Carlos Barria

Obama se diz 'profundamente abalado' com vídeo de morte de jovem negro

Presidente americano pediu que no Dia de Ação de Graças - comemorado nesta quinta-feira nos EUA - todos 'tenham em pensamentos e orações àqueles que sofreram perdas trágicas'

O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2015 | 13h05

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse na noite de quarta-feira que ficou "profundamente abalado" com as imagens divulgadas na terça-feira da morte de um jovem negro em Chicago (veja abaixo), que foi atingido por 16 disparos de um veterano policial branco em um incidente ocorrido há um ano.

"Assim como muitos americanos, estou profundamente abalado com as imagens da morte a tiros de Laquan McDonald, de 17 anos", escreveu Obama em seu perfil oficial no Facebook.

"Neste Dia de Ação de Graças - feriado que é comemorado nesta quinta-feira, 26, nos EUA - peço a todos que tenhamos em nossos pensamentos e orações àqueles que sofreram perdas trágicas, e que estejamos agradecidos pela maioria de homens e mulheres de uniforme que protegem nossas comunidades com honra", escreveu o presidente.

Além disso, Obama agradeceu à população de Chicago, local que considera como sua "cidade natal" apesar de ter nascido no Havaí, por ter conseguido fazer com que os protestos que se produziram após a divulgação do vídeo da morte de McDonald fossem "pacíficos".

Centenas de pessoas protestaram na terça e na quarta-feira pelas ruas de Chicago, com manifestações e concentrações que, por enquanto, são pacíficas e estão sendo marcadas pelo grito "16 shots" (16 tiros), em referência aos disparos recebidos por McDonald.

As autoridades judiciais de Chicago anunciaram na quarta o indiciamento por assassinato do veterano policial branco Jason Van Dyke, de 37 anos, suposto autor dos disparos contra o jovem.

McDonald morreu em 20 de outubro de 2014 após um desentendimento com o agente Van Dyke, da polícia de Chicago, que afirmou que, no momento do incidente, o jovem estava armado com uma faca.

A promotora do condado de Cook, Anita Álvarez, afirmou em entrevista coletiva que as acusações apresentadas contra o policial se baseiam nos disparos que ele supostamente fez contra McDonald quando a vítima já não representava uma ameaça e estava estendida no chão.

No ano passado, também nos dias anteriores ao feriado de Ação de Graças, aconteceram protestos e violentos distúrbios na cidade de Ferguson, no estado do Missouri, depois que um grande júri absolveu o policial branco que matou a tiros o jovem negro Michael Brown em agosto de 2014.

Em razão do caso de Brown e de outras mortes similares de homens negros desarmados por agentes das forças da ordem, surgiu o movimento "Black Lives Matter" (As vidas negras importam), que Obama defendeu como necessário para expor um problema "real" que os Estados Unidos devem "levar a sério". / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaDia de Ação de Graças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.