Obama se diz 'surpreso' e 'lisonjeado' por Nobel da Paz

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou hoje estar "surpreso e profundamente lisonjeado" por receber o Prêmio Nobel da Paz. Segundo ele, a honraria é uma afirmação da liderança dos EUA, mais que um reconhecimento por seu próprios feitos. "Os desafios não podem ser encarados por qualquer líder sozinho ou qualquer nação sozinha", disse Obama.

AE, Agencia Estado

09 de outubro de 2009 | 13h15

Em rápidas declarações sobre o tema na Casa Branca, o presidente norte-americano afirmou que não sentia merecedor de estar na companhia de antigos ganhadores. Mas disse que aceitava o prêmio como um chamado para a ação, para que o mundo enfrente os desafios comuns do século 21.

De acordo com o presidente do Comitê do Prêmio Nobel, Thorbjoern Jagland, Obama foi premiado "pelos seus extraordinários esforços para fortalecer a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos". O comitê apontou "a importância especial da visão e do trabalho de Obama para um mundo sem armas nucleares" e afirmou que ele criou um "novo ambiente na política internacional". "Apenas muito raramente uma pessoa atraiu tanto a atenção do mundo e deu a seu povo a esperança de um mundo melhor", declarou o comitê. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
NobelObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.