Obama: Taleban pode atacar de novo no Afeganistão

Um dia depois do atentado que matou 21 pessoas em um hotel frequentado por ocidentais no Afeganistão, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que o país ainda é perigoso e pode ser alvo de novos atentados do Taleban. Ele reforçou seu plano de retirada de 33 mil soldados até setembro de 2012, anunciado no dia 22, e afirmou que ataques de radicais podem ocorrer ocasionalmente.

AE, Agência Estado

30 de junho de 2011 | 07h52

Cuidadoso com as palavras, Obama afirmou que é muito cedo para declarar vitória no Afeganistão e advertiu para o fato de o trabalho dos americanos ainda não estar concluído. "Estamos retirando esses 33 mil soldados porque tivemos sucesso em nossas operações", afirmou, em entrevista à imprensa na Casa Branca. "Nós entendemos que o Afeganistão é um lugar perigoso, que o Taleban ainda está ativo", disse Obama.

Ainda de acordo com o presidente, as ações americanas no Afeganistão estão atualmente mais concentradas em duas tarefas: assegurar que a Al-Qaeda não atacará os EUA e preparar as forças afegãs para cuidar da segurança do país. "Cabul é muito mais segura do que antes e as forças afegãs são mais capazes. No entanto, isso não significa que não ocorrerão mais eventos assim", declarou Obama. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoatentadostalebanEUAObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.