Obama tem dúvidas sobre transição de poder no Egito

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse em pronunciamento que ainda não ficou claro se a "transição do poder" anunciada nesta quinta-feira pelo presidente egípcio, Hosni Mubarak, se dará de forma imediata e significativa o suficiente. Obama pediu a Mubarak que explique melhor ao povo egípcio de que maneira a mudança parcial do poder se dará.

Agência Estado

11 de fevereiro de 2011 | 00h06

Segundo Obama, a população do Egito ainda não está convencida de que a transição terá como objetivo trazer a democracia ao país. "O Egito não pode perder esta oportunidade de alcançar a democracia", disse Obama. Para ele, a mudança parcial do poder no Egito ainda "não é algo crível nem concreto". O líder americano reiterou ao governo de Mubarak que mostre ao povo um caminho claro rumo à democracia. Obama assistiu na sala de conferências do avião presidencial (Air Force One) ao discurso do líder egípcio à nação e logo em seguida se reuniu com sua equipe de Segurança Nacional para analisar os últimos acontecimentos naquele país, informou a Casa Branca.

Obama disse ainda que o governo egípcio não deve apelar para a repressão nem à brutalidade. Na mesma linha de raciocínio, o chanceler britânico, William Hague, disse que as declarações de Mubarak foram pouco claras e exortou o governo de Mubarak a uma transição rápida em busca de um governo mais representativo no país. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.