Obama tenta recompor-se depois de ataques republicanos

Depois de uma difícil semana queespalhou preocupações entre os democratas, o candidato dopartido à Presidência dos EUA, Barack Obama, respondeu ao rivalrepublicano, John McCain, na sexta-feira com novos anúncios epromessas de uma mensagem remodelada. Obama tem enfrentado dificuldades para encontrar sua voz emum debate de campanha dominado por McCain e sua parceira dechapa, Sarah Palin (governadora do Alasca), desde que osrepublicanos encerraram sua convenção, na semana passada, comuma enxurrada de ataques pessoais lançados contra o democrata. O surgimento de Palin, uma conservadora antiaborto epró-armas que levou novo ânimo à base do partido, parece terfeito Obama perder o passo e colocou os republicanos em umapequena vantagem nas pesquisas para a eleição de 4 de novembro. O democrata e seus aliados, no entanto, prometeram virar apágina e declararam que o pior já passou. "Hoje é o primeiro dia do resto de nossa campanha", afirmouDavid Plouffe, diretor de campanha de Obama, em um memorando."Responderemos com velocidade e ferocidade aos ataques de JohnMcCain e vamos levar a luta até ele. Mas faremos isso emrelação às grandes questões que interessam ao povonorte-americano." O comitê de campanha de Obama lançou dois novos anúnciosacusando o republicano de ser um aliado do presidente George W.Bush que seria incapaz de prover melhorias econômicas ou decumprir sua promessa de mudar a cultura imperante no mundopolítico de Washington. "As coisas mudaram nos últimos 26 anos. Mas McCain, não",disse um dos novos anúncios dos democratas. "Ele admite queainda não sabe como usar um computador, que não consegue enviarum e-mail. Que ainda não compreende a economia." Em um outro anúncio, Obama fala diretamente com a câmerapara explicar sua promessa de mudança. "Porque neste ano, amudança precisa ser algo mais do que um slogan", ele diz. MCCAIN NO ATAQUE O comitê de campanha de McCain, por sua vez, tambémdesferiu ataques contra Obama. "Ele já foi a maior celebridadedo mundo, mas a estrela dele está se apagando. Por isso, elesatacaram Sarah Palin", afirma o narrador no novo anúncio. "Quefalta de respeito." A tempestade política provocada pela escolha dapraticamente desconhecida Palin como candidata a vice de McCaine os ataques mordazes lançados pelos republicanos contra Obamadeixaram em um segundo plano a mensagem do democrata a respeitode suas políticas econômicas. Estrategistas do partido de Obama ficaram preocupados com ofato de o candidato ter mostrado indecisão sobre comoresponder. McCain, senador em quarto mandato pelo Estado do Arizona, ePalin investiram contra a mensagem de mudança divulgada porObama e apresentaram-se como os reformadores da disputa --umamanobra que pareceu ter surpreendido a equipe de Obama. Alguns ativistas democratas também se perguntavam por queObama ficou encarregado de responder aos ataques de McCain ePalin. Esses ativistas pediram que o candidato a vice dopartido, senador Joe Biden, e outros membros da legendadesempenhem um papel mais ativo na corrida presidencial,atacando os republicanos. A impressão de nervosismo crescente da parte dos democratasera palpável entre os ativistas e as autoridades eleitas dopartido, o que obrigou o comitê de campanha de Obama a adotarmedidas para acalmá-los.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.