Obama tenta ser um homem comum por mais algum tempo

É possível ser um sujeito comum e levar uma vida normal e discreta quando se está prestes a ser o próximo presidente dos EUA? Barack Obama assim espera, e está fazendo o máximo para prová-lo -- pelo menos na primeira semana desde sua vitória sobre John McCain na eleição presidencial de terça-feira. Obama e sua família sabem que suas vidas mudarão drasticamente quando se mudarem para o número 1600 da Avenida Pensilvânia em janeiro, por isso estão aproveitando seus últimos meses de 'normalidade' antes de adentrar o aquário da Casa Branca. Obama pareceu um tanto perplexo na sexta-feira, quando deu sua primeira coletiva de imprensa como presidente eleito e uma sala repleta de repórteres se ergueu quando ele entrou. Acostumado com repórteres equilibrando computadores no colo enquanto faziam perguntas durante a campanha, Obama disse 'uau' antes de começar a falar. Embora a segurança tenha sido reforçada depois que Obama se tornou o presidente eleito, com um número maior de ruas bloqueadas em torno de sua casa em Chicago e mais policiais em sua escolta, o político de 47 anos tenta tocar a vida de sempre. Nos últimos dias ele foi a um restaurante no centro para um jantar de três horas com sua esposa Michelle, usufruiu de um número inédito de noites dormindo em sua própria cama e seguiu uma rotina diária de exercícios. Para o jantar de sábado com a esposa, a escolta de Obama foi tão discreta quanto pode ser uma dúzia de carros serpenteando pelo centro da cidade. A polícia ligou as sirenes só algumas vezes e durante a maior parte do trajeto não usou as luzes de alerta -- supostamente em um esforço para não chamar muita atenção. O casal Obama até foi à escola de suas filhas para uma reunião de pais e mestres, que teve de ser adiada por causa da estafante campanha presidencial que manteve Obama longe de casa a maior parte do tempo. Eles se pareciam a outros pais, conversando enquanto deixavam a escola, exceto que Michelle Obama carregava flores que aparentemente lhe haviam sido dadas dentro da escola e que os dois seguiram em escoltas diferentes depois de se despedir. MALHANDO Uma constante na rotina exigida por Obama são os exercícios regulares. Mesmo depois de ficar de pé até as duas da manhã na noite da eleição, ele foi à academia cedo na quarta-feira antes de um dia de reuniões. No domingo de manhã -- um dia que ele diz gostar de começar fazendo café junto com Michelle e as filhas Malia e Sasha -- Obama levantou cedo e foi para a academia, localizada em um condomínio próximo de propriedade de um bom amigo seu. Os moradores do complexo de apartamentos acostumaram-se a ver o presidente eleito malhar a seu lado. Um homem na fila de um café local disse ter usado uma máquina de exercícios perto de Obama. Ele disse que a segurança dentro da academia foi reforçada um pouco ultimamente e que agora agentes do serviço secreto andam pedindo aos freqüentadores para não tirar fotos. Mas, a não ser por isso, Obama não destoa ao chegar usando boné e agasalho de corrida. O resto do domingo deveria ser um dia igual ao de muitos americanos, com planos de assistir ao futebol com a família e os amigos. A não ser pelo fato de que Obama poderia ser chamado para conversar sobre preocupações mundiais, receber memorandos do serviço de inteligência ou dar mais um passo em suas decisões sobre quem empregar em seu gabinete.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.