Obama vai à Flórida de olho na economia

Estado que definiu vitória de Bush há oito anos é considerado crucial

Lake Worth, EUA, O Estadao de S.Paulo

22 de outubro de 2008 | 00h00

O democrata Barack Obama passou o dia de ontem promovendo suas idéias para a economia durante uma reunião sobre emprego na Flórida. O encontro faz parte da ofensiva lançada pelo candidato na segunda-feira, em conjunto com a senadora Hillary Clinton, para vencer no Estado - considerado crucial para a eleição do dia 4. Obama decidiu intensificar sua campanha na Flórida por causa do início de sua votação antecipada . Na polêmica eleição de 2000, o Estado deu ao republicano George W. Bush a vitória contra Al Gore.A ansiedade sobre o futuro econômico dos EUA tomou conta dos americanos desde que a crise financeira atingiu o país. A duas semanas da votação, os eleitores estão preocupados com a perda de aposentadorias, o aumento no preço das hipotecas e a diminuição da oferta de emprego. A questão da economia é particularmente importante na Flórida, cujos índices de desemprego estão acima do nível nacional. A disputa no Estado está apertada - uma média de pesquisas feita pelo site Real Clear Politics dá a Obama 2 pontos de vantagem sobre o republicano John McCain (48,6% a 46,6%).O encontro de ontem em Palm Beach, a poucos quilômetro ao norte de Miami, teve a participação de governadores democratas de quatro Estados-chave - Michigan, Ohio, Novo México e Colorado. Com exceção de Michigan, todos esses Estados votaram em Bush em 2004. No entanto, pesquisas recentes indicam a liderança de Obama em todos eles. Além dos governadores, participaram do evento empresários e especialistas - entre eles o presidente do Google, Eric Schmidt, e o ex-presidente do Banco Central americano Paul Volcker. Obama aproveitou a reunião para atacar as políticas econômicas defendidas por Bush e McCain. "A crise financeira, que atingiu governos, empresas e famílias, não surgiu da noite para o dia", disse o democrata. "O senador McCain não a reconheceu. Em vez de dar soluções, mês após mês ele ofereceu um pouco mais do que uma ignorância deliberada, ilusões e ideologia defasada."McCain também criticou Obama durante um evento de campanha na Pensilvânia, questionando a capacidade do democrata de governar. O republicano utilizou como base as declarações do candidato a vice na chapa democrata, Joe Biden. No fim de semana, Biden disse que esperava que Obama fosse testado, se eleito, por uma "crise generalizada" logo após a posse.FESTA DA VITÓRIAA equipe de Obama anunciou ontem que está organizando uma festa em Chicago para a noite do dia 4, quando seus partidários esperam comemorar a vitória do candidato nas eleições. O evento será no Grant Park, centro da cidade.AP, AFP E REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.