J. Scott Applewhite/AP
J. Scott Applewhite/AP

Obama vai revelar planos econômicos em discurso na convenção democrata

Presidente vai falar depois de Bill Clinton ter atacado, na quarta-feira, de forma detalhada o republicano Mitt Romney

estadão.com.br,

06 de setembro de 2012 | 20h05

CHARLOTTE, EUA - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fará defesa pela reeleição nesta quinta-feira, 6, em um ato de encerramento para a Convenção Nacional Democrata, que ele vai usar para revelar seus planos para revitalizar a economia norte-americana. Obama fará seu discurso de aceitação da nomeação presidencial na Time Warner Cable Arena, com capacidade para 20 mil pessoas, depois que a ameaça de uma tempestade frustrou os planos de realizar o evento em um estádio de futebol aberto com 74 mil lugares.

Veja também:

link Bill Clinton faz defesa vigorosa de Obama na convenção democrata

link Barack Obama discursará em local fechado por temor de tempestade

Obama vai falar depois do ex-presidente Bill Clinton, que atacou de forma detalhada o adversário Mitt Romney e seus colegas republicanos em um discurso na noite de quarta-feira, animando a arena. Sob pressão para dizer aos norte-americanos como vai criar empregos, Obama vai expor sua visão para um segundo mandato na Casa Branca, em um discurso televisionado nacionalmente e assistido por dezenas de milhões de pessoas.

"O presidente tem agora uma oportunidade de falar sobre como levantar o país, como nós reconstruiremos a classe média, as coisas que temos de fazer em conjunto para alcançar o tipo de futuro que as pessoas estão procurando", disse o conselheiro da campanha David Axelrod à MSNBC. O vice-presidente dos EUA, Joe Biden, também vai falar na última noite de uma convenção de três dias que marca o início da temporada de outono da campanha, com os dois candidatos à Casa Branca em uma corrida acirrada.

Clinton fez uma defesa entusiasmada do modo como o atual presidente vem administrando a debilitada economia norte-americana. O discurso de Clinton foi o ponto alto do segundo dia da convenção democrata. Os dois se abraçaram no palco depois do discurso, com Obama na expectativa de tirar vantagem da popularidade do ex-presidente e se beneficiar de sua capacidade de resumir claramente argumentos políticos complicados.

Obama e Romney estão quase empatados nas pesquisas antes da eleição de 6 de novembro, à medida que o atual presidente se esforça para defender sua reeleição em meio a uma recuperação econômica morna e o alto desemprego persistente de 8,3 por cento. Obama tem ficado atrás de Romney, ex-governador de Massachusetts que enfatiza a sua experiência empresarial como chefe de um fundo de private equity, em muitas pesquisas na pergunta sobre quem lidaria melhor com a economia.

O conselheiro sênior David Plouffe minimizou a expectativa de um grande impulso nas pesquisas após o encontro democrata. "Acho que estamos fazendo bastante progresso esta semana, mas você não verá grandes saltos nesta eleição", disse ele ao programa "Good Morning America", da ABC. "Acredito que nos próximos 61 dias (a disputa) vai continuar bem acirrada."

Com Reuters

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.