Obama vê grande oportunidade comercial na AL

O presidente dos EUA, Barack Obama, promoveu as economias da América Latina durante a Cúpula das Américas, neste sábado, na Colômbia, dizendo que a região se moveu muito além de uma era de tensões de guerra fria e agora apresenta uma enorme oportunidade comercial para os EUA.

CLARISSA MANGUEIRA, Agência Estado

14 de abril de 2012 | 14h57

Ele afirmou que "um governo transparente" é essencial para criar oportunidades para as pessoas da região. Ele elogiou a Colômbia e o Brasil pela a criação de governos eficazes que têm crescimento econômico sustentado.

As declarações de Obama foram feitas durante uma reunião com líderes empresariais com a finalidade de convencê-los que ele leva a sério a expansão do comércio na América Latina.

Obama afirmou que 40% das exportações dos EUA são destinadas à região, sustentando quase 4 milhões de empregos no país. A China, no entanto, se tornou um parceiro comercial maior com outros países da América do Sul.

O presidente dos EUA também disse que a legalização do uso de drogas não é a resposta para o tráfico ilegal de narcóticos nas Américas, contrariando um coro crescente na América Latina para discutir a descriminalização como uma forma de reduzir a violência dos cartéis.

Ele declarou que está aberto a um debate sobre a legalização, mas não acredita que isso conduzirá a um acordo. Segundo Obama, a resposta para os cartéis de drogas são as sociedades com economias fortes, leis e estrutura sólida de aplicação da leis. Ele acrescentou que também é de responsabilidade dos países que são grandes destinos para as drogas reduzir a demanda por narcóticos ilegais. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaAmérica Latina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.