Obama vence McCain em quatro Estados decisivos, diz pesquisa

O candidato democrata à Presidênciados Estados Unidos, Barack Obama, vence seu rival republicano,John McCain, em quatro Estados decisivos, de acordo com umapesquisa divulgada nesta quinta-feira. Segundo os pesquisadores, o resultado pode apontar para umaampla vitória de Obama na eleição de novembro. O levantamento da Quinnipiac University mostrou que Obamavence McCain no Colorado, Michigan, Minnesota e Wisconsin,Estados que os estrategistas das campanhas incluem entreaqueles em que a disputa é mais acirrada e podem serdeterminantes para o resultado. "Se estes números se mantiverem, será muito difícil osenador Obama não conquistar a Presidência por uma margemconfortável", disse o diretor assistente da pesquisa, PeterBrown. . A sondagem indica que Obama lidera por 49 a 44 por cento noColorado, 48 a 42 por cento no Michigan, 52 a 39 por cento noWisconsin e 54 a 37 por cento em Minnesota. A margem de erro emcada Estado estava em torno de 2,6 pontos porcentuais. A corrida presidencial dos EUA não é decidida pelo simplesvoto nas urnas, mas pela contagem dos chamados colégioseleitorais dos Estados onde cada candidato venceu. A populosaCalifórnia, por exemplo, tem 55 colégios eleitorais enquanto oEstado de Montana, que é escassamente povoado, possui três.Para vencer o candidato precisa ter um total de 270 colégioseleitorais. Ultimamente os candidatos têm dedicado a maior parte de suacampanha a um grupo de Estados "oscilantes" que podem sealinhar com qualquer um dos dois candidatos. Uma pesquisa da Quinnipiac na semana passada mostrou queObama vence McCain nos maiores Estados oscilantes: Ohio,Flórida e Pensilvânia. Na pesquisa desta semana, Obama lidera com força entre asmulheres, minorias, eleitores independentes e jovens. McCainestá na frente entre os homens no Colorado e os eleitoresbrancos no Michigan. Cerca de três quartos dos entrevistadosdisseram que já estão decididos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.