Obama venceu debate, indica pesquisa

Democrata teve melhor desempenho do que McCain, de acordo com sondagem feita entre eleitores indecisos

NYT, AP E REUTER, O Estadao de S.Paulo

28 de setembro de 2008 | 00h00

Os primeiros resultados de uma pesquisa realizada com 500 pessoas declaradas como eleitores indecisos apontaram o candidato democrata, Barack Obama, como o vencedor do primeiro debate entre os concorrentes à Casa Branca, realizado na sexta-feira à noite na Universidade do Mississippi. O levantamento, da rede de TV CBS, mostra que 39% dos eleitores indecisos consultados consideraram Obama vencedor. O candidato republicano, John McCain, foi considerado o melhor por 24%. Para 37% dos pesquisados, houve empate.Sobre os temas abordados no debate, 68% dos entrevistados consideraram que Obama acertou com suas declarações sobre economia, contra 41% que afirmaram que McCain esteve melhor. Quanto à Guerra do Iraque, outro dos grandes temas da noite, McCain venceu Obama segundo 55% dos entrevistados, enquanto 49% concordaram com as posições do candidato democrata. A rede de televisão informou que estes resultados não são definitivos.Além da CBS, a emissora CNN também detectou vantagem de Obama durante o debate, com 51% da preferência dos telespectadores, contra 38% de McCain.A emissora ressalva, entretanto, que, entre os pesquisados, foram ouvidos mais democratas que republicanos."Milhões de norte-americanos puderam ver, durante o debate, a opção fundamental destas eleições: a mudança e a manutenção da mesma política", disse Obama, em e-mail enviado a seus seguidores. "Pude propor uma redução de impostos para a classe média, um seguro de saúde acessível e uma nova política energética, que criará milhões de empregos", acrescentou.O primeiro debate presidencial foi mais um choque de ideologias ou de temperamentos. O candidato republicano citou Churchill e Eisenhower, e descreveu George Shultz, que foi membro do gabinete de Ronald Reagan, como um "grande secretário de Estado". AJUDAJá o candidato democrata prometeu aos eleitores ansiosos um orçamento federal que possa ser vasculhado como um "Google para o governo" e acusou seu adversário de ter uma "mentalidade do século XX".Obama e McCain nem chegaram a discutir a ajuda econômica de US$ 700 bilhões. Foi uma colisão de gerações, e por vezes parecia quase a dramática encenação de uma tensa reunião familiar freudiana: um velho patriarca frustrado e até mesmo irritadiço quando desafiado por um possível sucessor nos negócios da família que acha que poderá conduzi-los melhor.Nenhum dos dois explorou plenamente as normas do debate que permitiam que eles se confrontassem diretamente, e esta reticência sugeriu a rígida polidez de dois parentes determinados a não estragar o almoço do Dia de Ação de Graças.McCain, 72 anos, argumentou reiteradas vezes que Obama, que tem 47 anos, não estava suficientemente maduro para o cargo: "Temo que o senador Obama não esteja compreendendo", "o que o senador Obama parece não compreender" e "o senador Obama ainda não entendeu".Obama estava calmo, parado, dono de si e com um ar mais eficiente do que agradável. Em geral, McCain foi mais agradável e usou uma linguagem mais coloquial, mas seu estilo às vezes era cortado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.