Obama visita o País em março para fazer avançar 'excelente relação'

Visita, que inclui também Chile e El Salvador, será a primeira do presidente dos EUA à América do Sul

BBC

26 de janeiro de 2011 | 01h06

Obama discursa na terça-feira. Atrás, o vice Joe Biden e John Boehner.

 

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou nesta terça-feira, 25, durante seu discurso do Estado da União, que fará uma visita ao Brasil em março.  

 

Veja também:

linkObama quer investimento em inovação

linkEm resposta a Obama, republicano pede corte de gastos

 

A viagem inclui ainda Chile e El Salvador e será a primeira de Obama à América do Sul desde que assumiu o governo americano. Obama disse que a viagem servirá para "forjar novas alianças para o progresso nas Américas".

"O presidente espera se encontrar com a nova presidente do Brasil, Dilma Rousseff, para discutir áreas de interesse mútuo que ajudarão a fazer avançar a excelente relação que nós já temos com o governo brasileiro", disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Mike Hammer.

"Essas áreas incluem energia limpa, crescimento global, reconstrução, assistência ao Haiti, esforços de desenvolvimento colaborativo e outras questões de importância global", afirmou o porta-voz.

Tensão

 

A visita de Obama ao Brasil vai ocorrer depois de um período de tensão entre os dois países durante os últimos dois anos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os pontos de atrito envolveram diversos temas, como um acordo militar entre Estados Unidos e Colômbia, que permitia aos americanos utilizar bases em território colombiano, e a crise provocada pela deposição do presidente de Honduras, Manuel Zelaya.

As divergências foram aprofundadas com a aproximação de Lula com o governo do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad.

No ano passado, o Brasil não apoiou a aplicação de uma quarta rodada de sanções da ONU contra o programa nuclear iraniano, aprovada pelo Conselho de Segurança em junho.

Pouco antes da aprovação, o Brasil havia obtido, ao lado da Turquia, um acordo com o governo iraniano para tentar solucionar a questão nuclear por meio do diálogo e evitar as sanções, mas a proposta foi rejeitada pelos EUA.

Diante da tensão entre os dois países, uma aguardada visita de Obama ao Brasil foi adiada várias vezes.

Com a confirmação da agenda do líder americano, a presidente Dilma Rousseff, que já tinha planejada uma visita aos EUA em março, acabou cancelando a viagem.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.