TV Estadão | 22.10.2015
TV Estadão | 22.10.2015

Obama visita seu antigo gabinete de senador em Illinois

Líder americano se arrepende de não ter conseguido reduzir as polarizações partidárias e critica postura de Sanders

O Estado de S. Paulo

11 de fevereiro de 2016 | 11h21

SPRINGFIELD, EUA - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitou na quarta-feira o lugar onde iniciou sua histórica campanha para chegar à Casa Branca há nove anos e pensou no que teria sido talvez a sua maior falha durante o tempo em que esteve no cargo: a promessa não cumprida de colocar a política americana acima de divisões políticas tóxicas.

Ao discursar em uma sessão conjunta na Assembleia-Geral do Capitólio de Illinois, Obama disse: “o tom dos nossos políticos não melhorou desde que eu cheguei à presidência; na verdade, ele piorou”.

O presidente continuou o discurso afirmando que um de seus maiores arrependimentos foi a “incapacidade de reduzir a polarização e a mediocridade na política americana”. “Pude fazer parte dela aqui, e mesmo assim não consegui transformá-la no que eu queria, na nossa política em Washington.”

O discurso de quarta-feira aconteceu em um momento crucial na corrida pela sucessão de Obama: um dia após os eleitores das primárias em New Hampshire darem a vitória para Donald Trump e Bernie Senders, rebeldes que estão desafiando a ortodoxia política dos partidos pelos quais eles procuram ser nomeados. Trump, com suas afirmações polêmicas com relação aos muçulmanos e hispânicos, tem contribuído para um diálogo político mais duro, lamentado por Obama.

A derrota de Hillary Clinton, apesar de esperada, é algo repreendido pela gestão americana atual, dado o fato de que ela foi a primeira Secretária de Estado de Obama e concorre como alguém que carrega seu legado.

O presidente não comentou os resultados em New Hampshire durante seu discurso, mas fez algumas referências à campanha. Para ele, a política precisa mudar e ser “menos espetáculo e mais batalha de ideias”. Ele se descreveu como um democrata progressista, ganhando aplausos entusiasmados do público que o assistia, onde predominavam membros do seu partido.

“Sempre passamos por momentos em que nossa democracia parece travada”, disse. “Quando isso acontece, temos que encontrar uma maneira nova de fazer negócios.”

O líder americano jurou fidelidade aos princípios progressistas como o acordo tarifário, mas criticou os progressistas - principalmente Sanders - por fazer promessas não realistas à base do partido e por atacar corporações sem conhecimento do papel delas na economia. Essa postura, destacou Obama, é verdadeiramente republicana.

“Quando os dois lados fazem promessas vazias à base, - como cortar impostos sem cortar serviços; ‘tudo ficará bem, mas não gastaremos nenhum dinheiro’; guerra sem um sacrifício conjunto; ‘seremos violentos, mas não se preocupem, ficará tudo bem’; criticar sindicatos e corporações sem entender que tanto os trabalhadores quanto as empresas fazem nossa economia funcionar - significa que os favoráveis a essa política serão permanentemente desapontados”, afirmou.

Assim como fez na gélida manhã em que iniciou sua longa trajetória como presidente, Barack Obama mencionou Abraham Lincoln, seu herói político, que condenou a escravidão em um discurso proferido em 1858 ao dizer que “uma casa dividida contra si mesma não consegue se manter em pé”.

Obama foi senador em Illinois de 1997 a 2004, quando ganhou uma cadeira no Senado dos EUA, cargo que não ocupou por muito tempo, já que logo iniciou sua corrida pela Casa Branca.

“Foi aqui em Springfield”, disse ele ao iniciar sua campanha, “onde eu vi que tudo na América converge: fazendeiros e professores, homens de negócios e trabalhadores, todos eles com uma história para contar, todos eles procurando um lugar na mesa, todos eles pedindo para serem ouvidos”. /NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.