Obama visita vilarejo de antepassados na Irlanda no 1º de quatro dias na Europa

Cerca de 3 mil pessoas, dez vezes a população de Moneygall, receberam o presidente dos EUA

estadão.com.br

23 de maio de 2011 | 14h48

Michelle e Barack Obama tomam Guinness em visita a um pub em Moneygall

 

DUBLIN - Entre os olhares da multidão e um bom gole de Guinness, a cerveja local, o presidente Barack Obama percorreu nesta segunda-feira, 23, as ruas de Moneygall, o vilarejo de onde seus ancestrais irlandeses saíram em busca de uma vida nova nos Estados Unidos.

 

Veja também:

linkObama inicia giro pela Europa

 

A Irlanda é o primeiro país na viagem de quatro dias de Obama à Europa. O presidente ainda visita a Inglaterra, França e Polônia. De acordo com a Reuters, o Air Force One vai deixar Dublin em direção a Londres nesta segunda, um dia antes do previsto, para evitar a nuvem de cinza vulcânica sobre a região.

Cerca de três mil pessoas - dez vezes o tamanho da população de 300 pessoas do vilarejo, que fica no condado de Offaly, no centro da Irlanda - receberam o presidente americano com aplausos, gritos e inúmeras bandeiras da Irlanda e dos EUA nas ruas da pequena localidade. Após apertar as mãos de seus admiradores durante cerca de 20 minutos, Obama e sua esposa, Michelle, visitaram a casa onde moravam seus familiares, os Kearney.

Em seguida, o casal visitou o pub Ollie Hayes, um dos dois que existem no vilarejo e que, com as paredes cheias de cartazes da campanha eleitoral de 2008 e retratos do presidente, praticamente se transformou em um museu dedicado ao governante americano.

'Não quero estragar'

 

"Me avise quando puder começar a tomá-la. Não quero estragar", brincou Obama enquanto Ollie, o proprietário do local cuja família se encarrega de matar a sede de Moneygall há quatro gerações explicava como se tira a tradicional pint de cerveja Guinness.

"Por que não tentamos tirar uma?", sugeriu a primeira-dama. Obama descobriu sua conexão irlandesa durante a campanha eleitoral de 2008, quando declarou: "Uma pessoa descobre muitas coisas sobre si própria quando se candidata a presidente. Fiquei sabendo que um ancestral por parte de mãe vinha de uma aldeia no condado de Offaly".

Pedaço de terra

 

Os Kearney eram sapateiros em Moneygall quando, em meados do século XIX, a fome atingiu a Irlanda e exterminou em apenas cinco anos um quarto do condado de Offaly, onde se encontra a pequena localidade. Anos antes, James - o tio do antepassado de Obama, Falmouth - tinha emigrado para os EUA, onde adquiriu um pedaço de terra que deixou para o irmão Joseph "caso fosse ao país".

Joseph Kearney se mudou para os Estados Unidos para reivindicar sua propriedade e chegou a Nova York em 25 de abril de 1849. Pouco mais tarde, seu filho mais velho, Falmouth, com 19 anos, o seguiu. Um ano depois seria a vez do resto da família deixar Moneygall.

Dois anos após sua chegada aos EUA, Falmouth se casou com Charlotte Holloway. O censo americano indica que o casal, já com vários filhos, se instalou durante a década de 1860 em Deerfield, Ohio, e na década seguinte no condado de Tipton, em Indiana.

Charlotte Holloway Kearney morreu em 1877 e seu marido, um ano depois. Tiveram pelo menos três filhos e cinco filhas, a menor das quais, Mary Ann, se casou com Jacob William Dunham e seria a tataravô de Obama.

 

Com Efe e Reuters

 

Corrigido às 20h59

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaIrlandaDublinEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.