Pablo Martinez Monsivais/AP
Pablo Martinez Monsivais/AP

Obama visita vítimas de tempestade e Romney faz campanha

Presidente cancelou compromissos eleitorais para visitar as vítimas do Sandy

AE, Agência Estado

31 de outubro de 2012 | 11h32

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Barack Obama, em campanha pela reeleição, deve visitar New Jersey para inspecionar a devastação generalizada causada pela supertempestade Sandy na Costa Leste do país. Por causa das pelo menos 50 pessoas mortas - a maioria por queda de árvores - e das milhões que foram afetadas pelos ventos fortes, cortes de energia e inundações, Obama cancelou aparições de campanha no Estado chave de Ohio para supervisionar a resposta do governo à tragédia. Já o rival republicano Mitt Romney  realizará  nesta quarta-feira três grandes comícios na Flórida, onde a disputa é uma das mais acirradas de toda a eleição.

Dependendo das ações do governo federal no gerenciamento da crise, a tentativa de reeleição de Obama pode ser fortalecida ou arruinada. O democrata está virtualmente empatado com Romney e a Casa Branca se esforça para retratá-lo como um líder forte, antes da eleição de 6 de novembro. O presidente decretou estado de emergência e de "grandes catástrofes" em New Jersey e Nova York.

As ações de Obama forçaram seu rival a ser cuidadoso e a tomar decisões difíceis. Para não ficar em desvantagem, Romney precisa demonstrar respeito às vítimas mas também não pode desperdiçar tempo de campanha.

A agenda revisada de Obama também é uma aposta política. Ele cancelou eventos de campanha mas continua em evidência ao comandar a resposta à passagem da supertempestade. Em vez de utilizar a quarta-feira para tentar convencer eleitores de Estados indecisos, o presidente aparecerá na televisão com o governador de New Jersey, Chris Christie. O republicano é um dos mais proeminentes simpatizantes de Romney, além de ser crítico ferrenho ao presidente. Mesmo assim, Christie vem elogiando a forma com que Obama está lidando com a tragédia. Na quinta-feira o presidente retoma a campanha.

Mais de oito milhões de casas ficaram sem eletricidade por causa da maior tempestade a atingir o país em gerações, que inundou o metrô de Nova York e o distrito financeiro de Manhattan. A previsão é que a tempestade pode ter causado cerca de US$ 20 bilhões em danos nos EUA.  

 

Com Dow Jones e Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.