Obra de arte conduz Sérvia à captura de Goran Hadzic

Suspeito de crimes de guerra em conflito nos Bálcãs é preso quando receberia dinheiro para continuar fuga de 7 anos

, O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2011 | 00h00

BELGRADO

A apreensão de uma pintura do artista plástico italiano Amadeo Modigliani levou as autoridades sérvias à prisão, na manhã de ontem, do último acusado de crimes de guerra durante o conflito nos Bálcãs. Foragido desde 2004, Goran Hadzic, de 52 anos, foi preso em uma remota floresta, nas imediações do vilarejo de Kruseldol e deverá ser extraditado para Haia, onde será julgado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), nos próximos dias.

O quadro Retrato de Um Homem foi encontrado em 30 de dezembro de 2010, durante uma busca realizada na residência de um suspeito de colaborar com Hadzic. Os investigadores tinham a informação de que o fugitivo tinha roubado a obra durante a Guerra da Croácia e, com a apreensão, descobriram que ele tentava vender o quadro para financiar sua fuga.

"Era um sinal de que Hadzic precisava de dinheiro. Então, seguimos essa pista", contou o promotor sérvio para crimes de guerra, Vladimir Vukcevic.

Nos meses seguintes, as autoridades sérvias monitoraram a rede de financiamento da fuga de Hadzic. "Isso, combinado com uma pressão crescente na família (do suspeito) e buscas constantes nas residências dos parentes e amigos, finalmente nos conduziu a resultados", explicou o promotor Bruno Vekaric. "A pintura abriu a caixa de Pandora."

Calvo e sem a barba negra pela qual era conhecido, Hadzic foi encontrado quando receberia dinheiro de um colaborador. Estava armado, mas não resistiu à prisão. Foi levado ao tribunal de crimes de guerra de Belgrado pouco depois.

Seu advogado, Toma Fila, contou que não apelará no processo que determina a extradição do suspeito para Haia. Segundo o representante, o fugitivo teria passado a maior parte dos sete anos que ficou foragido no exterior. Uma recompensa de US$ 1,4 milhão tinha sido oferecida por sua captura, mas não ficou claro se alguém teria direito a recebê-la.

As 14 acusações contra Hadzic incluem crimes de guerra e crimes contra a humanidade - entre eles, assassinatos, torturas, deportações e transferências forçadas de cidadãos croatas e de outras origens não sérvias - ocorridos na região da Croácia que ele comandava durante a guerra.

Segundo o TPI, Hadzic está entre os responsáveis pela tomada de Vukovar, considerada a primeira cidade europeia completamente destruída após a 2.ª Guerra, que até hoje ostenta profundas cicatrizes do conflito nos Bálcãs.

Ocorrida menos de dois meses após a prisão do general Ratko Mladic, a captura de Hadzic é outra medida em direção à inclusão da Sérvia na União Europeia. "Esse foi mais um passo importante para a Sérvia concretizar sua perspectiva de inclusão", afirmaram os líderes da comunidade. / AP, REUTERS e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.