Obrador exige recontagem dos votos no México

O candidato esquerdista à presidência do México, Andrés Manuel López Obrador, defendeu nesta terça-feira a recontagem voto a voto do pleito realizado no país no último domingo, afirmando que 3 milhões de sufrágios desapareceram na contagem preliminar. As declarações do candidato do Partido Revolucionário Democrático (PRD) indicam que o México corre o risco de enfrentar semanas, ou possivelmente meses, de incerteza política.A demanda, oficializada pelo diretor de campanha do PRD, Jesus Ortega, renovou os temores de que o candidato mobilize milhões de seus apoiadores para lançar protestos de rua caso ele não seja declarado vencedor.Mas os riscos de turbulência no campo político não assustaram o mercado financeiro, que pelo segundo dia consecutivo permaneceram estáveis após a aparente vitória de Calderón. Com mais de 98,45% dos votos contabilizados, o resultado preliminar dava 36,38% para o conservador Felipe Calderón e 35,34% para Obrador. Na segunda-feira à noite, o candidato esquerdista afirmou que usará todos os meios legais para questionar a aparente vitória eleitoral de Calderón.Em tom cauteloso, Obrador evitou classificar como fraudulenta a eleição de domingo e não convocou explicitamente seus simpatizantes a tomarem as ruas.Mas o ex-prefeito da cidade do México explicou que as autoridades estimaram uma participação na eleição de 41 milhões a 42 milhões de eleitores, enquanto a contagem preliminar do Instituto Federal Eleitoral (IFE) mostrava 38 milhões de votos contabilizados.A apuração preliminar mostrou Calderón com uma vantagem de cerca de 400 mil votos, ou cerca de um ponto porcentual. "Não podemos aceitar isso", disse López Obrador. Segundo o diretor de campanha do PRD, o partido irá solicitar a abertura dos pacotes de votos e a recontagem voto a voto "em alguns casos".Membros do PRD afirmaram que há indícios de que a contagem preliminar foi manipulada a favor do Partido da Ação Nacional (PAN), de Calderón e do atual presidente Vicente Fox. O IFE não respondeu à acusação. O presidente do instituto, Luis Eduardo Ugalde, pediu, ontem, cautela, afirmando que só daria os resultados oficiais quando as atas das 130 mil seções eleitorais do país forem revisadas.A contagem oficial dos votos começa nesta quarta-feira e pode levar dias. E, mesmo que o vencedor seja anunciado, os resultados poderão ser contestados na Justiça.TensõesAs tensões cresceram nesta terça-feira no estado sulista de Oaxaca, onde professores em greve ocuparam prédios de empresas e bloquearam estradas, ignorando os pedidos para que congelassem as manifestações até que o novo presidente seja anunciado.Ambos os candidatos disseram-se vencedores na noite de domingo. E mesmo com as contagens preliminares divulgadas na segunda-feira indicando a vitória de Calderón, López Obrador continuou a clamar vitória. "Nós temos um compromisso com os cidadãos para defender o desejo de milhões de mexicanos", argumentou.Segundo o candidato do PRD, a eleição foi marcada por "muitas irregularidades", incluindo resultados mal anunciados e a contagem dupla de votos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.