Obrador pede impugnação das eleições no México

Um dia depois ter mobilizado cerca de 280 mil simpatizantes no centro histórico da Cidade do México e afirmado que houve fraude nas eleições presidenciais de domingo retrasado, o esquerdista Andrés Manuel López Obrador, do Partido da Revolução Democrática (PRD), entregou pedido formal de impugnação da votação ao tribunal eleitoral mexicano, conhecido pela sigla Trife. López Obrador perdeu a eleição para o conservador Felipe Calderón por menos de 250 mil votos em um universo de mais de 41 milhões, ou 0,58 ponto percentual. O líder esquerdista, que já deixara claro mesmo antes da eleição que não aceitaria um resultado que não lhe fosse favorável, disse que o processo eleitoral foi "marcado por irregularidades" e voltou a exigir que se faça nova apuração, "voto por voto, urna por urna", o que é legalmente impossível, segundo o presidente do Trife, Leonel Castillo.Perguntado sobre as iniciativas de líderes como o presidente George W. Bush, que telefonou a Calderón para cumprimentá-lo, López Obrador disse que "não há presidente eleito no México".O Partido de Ação Nacional (PAN), de Calderón, respondeu afirmando que a derrota nas urnas deixou o líder perredista num estado de confusão mental e que aguardará confiante a decisão do tribunal.Não está claro quanto tempo os sete juízes que compõem o Trife levarão para examinar as "provas" da fraude que o PRD de López Obrador afirmou possuir. O tribunal tem até o dia 6 de setembro para anunciar o presidente eleito. A maioria dos comentaristas não espera uma decisão antes de dez dias ou duas semanas, o tempo mínimo que estima necessário para que os perredistas apresentem todas as suas queixas e que estas sejam séria e exaustivamente consideradas e investigadas. Duas semanas é também o período requerido para a montagem da delicada articulação política, envolvendo todos os partidos. A grande incógnita é se o líder esquerdista conseguirá manter o controle das grandes mobilizações de massa que programou para os próximos dias e semanas, com o objetivo de pressionar o Trife. A maior parte dos analistas prevê que o tribunal rejeitará a demanda do PRD, certificará a lisura da votação e irá oficializar a vitória de Calderón.

Agencia Estado,

09 de julho de 2006 | 20h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.