Obras de Rafael e Rembrandt são vendidas a US$ 82 mi

Um desenho e Rafael e um retrato de Rembrandt atingiram recorde de preços e, juntos, foram vendidos por quase 50 milhões de libras (US$ 82 milhões) num leilão em Londres.

AE-AP, Agencia Estado

09 de dezembro de 2009 | 17h56

A casa de leilões Christie''s informou hoje que "Cabeça de uma Musa" de Rafael foi vendido por 29,2 milhões de libras (US$ 47,5 milhões), o dobro da estimativa pré-venda. Trata-se do maior preço pago pelo trabalho de um mestre antigo em leilão e um recorde para um trabalho em papel. O desenho, um estudo para um afresco no Vaticano, foi comprado por uma pessoa que não se identificou e deu o lance por telefone.

"Ele nos oferece uma visão da mente criativa de um gênio, nos apresenta a urgência de seus pensamentos e ideias, capturando o momento preciso no qual a mão e a mente do artista foram aplicadas ao papel", disse Benjamin Peronnet, diretor da divisão de desenhos dos velhos mestres e do século 19 da Christie''s.

Já o retrato do mestre holandês Rembrandt também atingiu preço recorde para um trabalho do artista em leilão, sendo vendido a 20 milhões de libras (US$ 32,7 milhões).

O "Retrato de um homem, de meio corpo, com as mãos na cintura", que já esteve pendurado na sala do presidente da Universidade de Columbia, não era visto em público há quase 40 anos. A universidade vendeu a pintura nos anos 1970. A Christie''s não identificou o atual vendedor, dizendo apenas que a pintura estava numa "ilustre coleção particular".

O recorde anterior para um trabalho de Rembrandt fora de 19,8 milhões de libras (US$ 28,7 milhões), pagos por "Retrato de uma Dama de 62 anos", vendido pela Christie''s em 2000.

Tudo o que sabemos sobre:
arteRafaelRembrandtleilãorecorde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.