Observadores da ONU suspendem patrulha na fronteira Kuwait-Iraque

Os observadores das Nações Unidas pararam todas as atividades na manhã desta segunda-feira na fronteira entre o Kuwait e o Iraque. Aproximadamente 1.300 pessoas da ONU trabalham na zona desmilitarizada entre os dois países. Daljeet Bagga, porta-voz da Missão de Observadores da ONU, disse que está sendo discutida a evacuação de todos os observadores da região. ?Estamos em uma zona desmilitarizada, mas interrompemos nossas operações de patrulhamento e supervisão. Discutiremos a situação com a sede da ONU?, afirmou Bagga. Os observadores da ONU supervisionam uma zona de 200 km entre Kuwait e Iraque desde o fim da Guerra do Golfo Pérsico, em 1991.A decisão deixa claro que a invasão ao Iraque está mais próxima. Neste domingo, o presidente norte-americano, George W. Bush, deu um ultimato ás Nações Unidas. Se o Conselho de Segurança não aprovar imediatamente a nova resolução autorizando a ação militar, as tropas aliadas iniciarão a guerra, mesmo sem o apoio da ONU.Para Bush, está segunda-feira ?é o momento de verdade para o mundo?. Tropas britânicas e norte-americanas, cerca de 250 mil soldados, estão no Kuwait aguardando uma ordem para iniciar a invasão do Iraque. Uma reunião de emergência do Conselho de Segurança foi marcada para hoje a pedido da França, país que ao lado de Rússia, China e Alemanha é contra a invasão do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.