OCDE decide paralisar processo de adesão da Rússia

A Organização para a Cooperação do Desenvolvimento Econômico (OCDE) decidiu deixar a imparcialidade de lado e emitiu uma opinião sobre a crise entre a Ucrânia e a Rússia. A intenção do órgão é fortalecer a cooperação com o governo ucraniano e, ao mesmo tempo, colocar em compasso de espera a adesão da Rússia à OCDE.

Agência Estado

13 de março de 2014 | 09h21

"A OCDE adia atividades relacionadas com o processo de adesão da Federação Russa no grupo neste momento", disse a organização em declaração nesta quinta-feira.

Essa posição é rara para o grupo que reúne 34 nações. A OCDE, tradicionalmente, se esforça para manter uma postura imparcial em conflitos políticos e econômicos. Durante a divulgação das novas orientações, a organização não mencionou em nenhum momento o conflito entre a Ucrânia e a Rússia sobre a disputa pela Crimeia, mas disse que seus membros concordaram em reunião reforçar suas cooperações com a Ucrânia.

A Rússia foi convidada a integrar a OCDE em 2007 e o processo de adesão estava em um estágio avançado. Em junho do ano passado, o secretário-geral do órgão, Angel Gurría, havia dito que a adesão dos russos seria um "esforço vencedor", ajudando o país a modernizar sua economia e beneficiando o desenvolvimento da OCDE. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
OCDERÚSSIAUCRÂNIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.